Gazetinhas – 07.06.2018 – Jornal A Gazeta

Gazetinhas – 07.06.2018

*Que vergonha!
*E sem contar conversa, o Conselho Tarifário de Rio Branco foi lá e decidiu pelo aumento da tarifa de ônibus no município, que passará a valer já a partir do próximo domingo.
*E que se dane o acordo feito em audiência pública, com os vereadores da Capital, para formação de uma comissão independente que analisaria a planilha de custos;
*Que se dane a proposta para o MP e o TCE participarem da análise e garantir, pelo menos, mais transparência à discussão;
*Que vá pro inferno a recomendação da prefeita Socorro Neri para que o preço sugerido fosse recalculado, tendo em vista a redução do valor diesel…
*O fato é que depois de muita confusão e enrolação, o Conselho fez o que estava previsto, desde o início:
*Aprovou, por maioria (7 votos x 4), o reajuste dos atuais R$ 3,50 para R$ 4;
*(No caso dos usuários da bilhetagem eletrônica, o preço passará a R$ 3,80 com o fim do subsídio de R$ 0,30 que era dado pela prefeitura).
*E manteve o valor de R$ 1 para estudantes.
*Até aí, tudo dentro do previsto.
*O Dim diz que a surpresa mesmo foi ver o bom companheiro comunista Eduardo Farias defendendo a necessidade do aumento da passagem…
*E conclamando os colegas da Frente Popular para fazerem o mesmo.
* “E se os ônibus parassem de rodar?”, provocou o vereador, criticando, inclusive, a cobertura da imprensa pela suposta falta de compreensão do assunto.
*Oi?!
*Ora, ninguém deseja isso não, doutor.
*A questão é que tem que “rodar” garantindo também a dignidade dos milhares de usuários que dependem do serviço.
*Que cobrem um preço justo sim, reajustado anualmente que seja (como se vê por aqui), mas por um serviço decente, em contínua melhoria (o que não se vê por aqui).
* “Até tu, Dudu?!” pergunta o chargista, choroso, decepcionado…
*Ô sofrência.
*Em tempo:
*O MPE, por intermédio da Promotoria de Defesa do Consumidor, convocou a equipe técnica do Conselho Tarifário para prestar esclarecimentos sobre a planilha que fundamenta o reajuste da passagem.
*Após a reunião, a promotora Alessandra Marques analisará a necessidade ou não de uma auditoria para atestar a legitimidade dos dados.
*Aí sim.
*Vamos acompanhar.
*Enquanto isso, na editoria de economia nacional…
*A Comissão Mista de Orçamento do Congresso revisou a estimativa para o salário mínimo em 2019 e veja só:
*O valor de R$ 1.002, apresentado pelo governo em abril, foi atualizado para R$ 998.
*O pior é que faltam bons meses pela frente para acabar o ano, e o número pode ser modificado novamente.
*E o saudoso e sábio professor Raimundo nunca esteve tão atual:
*E o salário óoooooo.

Assuntos desta notícia