GAZETINHAS – 08-03-2019 – Jornal A Gazeta

GAZETINHAS – 08-03-2019

*Salve 8 de março!
*Dia Internacional da Mulher.
*Uma data importante, que merece ser destacada, celebrada…
*Embora, nos últimos tempos, tenhamos tido poucos motivos para comemorar.
*É só dar uma olhada nas manchetes recentes, nacionais e locais, sobre os terríveis crimes praticados contra as mulheres.
*O chamado feminicídio, assassinato de mulheres e meninas pelo “simples” fato de serem mulheres (!);
*As agressões covardes, brutais, inexplicáveis, gratuitas;
*Os abusos, o preconceito explícito ou velado, as cobranças, os rótulos…
*De acordo com dados da Secretaria estadual de Segurança Pública, o Acre registrou 14 casos de feminicídio em 2018.
*É o maior número de casos no Estado, nos últimos três anos.
*(Fora os milhares que não são sequer notificados, por medo, vergonha, desinformação…).
*É a vendedora morta na frente do trabalho porque não queria reatar o relacionamento;
*A outra jovem que teve as partes íntimas queimadas com água quente pelo marido, pois ele não aceitava o fim do casamento…
*Vai ano, entra ano, e a impressão que dá é que avançamos tanto em tecnologias e conhecimentos diversos;
*Mas, em relação à mentalidade sobre as mulheres (e as relações humanas, de modo geral) o que ocorre é um retrocesso.
*Uma espécie de epidemia do machismo, do conservadorismo, da violência doméstica…
*É muita luta pela frente ainda.
*Enfim…
*Ainda sobre as homenagens merecidas para elas, o colega jornalista Leonildo Rosas elogiou (pasmem!) a homenagem às servidoras do Hospital das Clínicas.
*Na manhã de ontem, uma faixa bonita, assinada pelo “Governo do Povo do Acre”, ilustrava as grades do hospital.
*Com direito à bandeirinha do Acre (símbolo do antigo governo) e tudo mais.
*Oi?!
*Mas tu não deixa passar uma, hein, Léo?!
*Tsc, tsc, tsc,
*Que língua.
*Continua tensa a relação entre os servidores da Saúde e o Governo do Estado.
*Embora o governo tenha emitido nota, ontem, afirmando que está aberto ao diálogo e que reconhece as dificuldades da pasta…
*Os trabalhadores já demonstram impaciência, desconfiança nas promessas e não descartam a greve.
*Os sindicalistas reclamam, principalmente, do projeto de terceirização do Pronto Socorro, que estaria sendo estudado pelo novo governo.
*Ué…

Assuntos desta notícia