Gazetinhas – 13.09.2018 – Jornal A Gazeta

Gazetinhas – 13.09.2018

*Calor, muito calor!
*E dá pra pensar em outra coisa?!
*Juntando com a fumaça e com a sensação de pânico pela violência, que sentimos ao andar pela cidade, a impressão que dá é que estamos ardendo no fogo do inferno.
*Vá de retro!
*A propósito, sobre Segurança Pública…
*A Sesp e a Polícia Civil divulgaram, ontem, dados importantes sobre os índices de criminalidade no Estado.
*De acordo com o levantamento, o Acre registrou 49 homicídios dolosos durante o mês de julho deste ano;
*Um aumento de pouco mais de 30% em relação ao número registrado em junho.
*A informação positiva, na medida do possível, é que, em julho, não houve casos de latrocínio ou de lesão seguida de morte.
*E que, apesar do crescimento considerável do total de assassinatos de um mês para o outro…
*De modo geral, os dados do primeiro semestre do ano demonstram que houve uma redução de quase 7% no número de vítimas de homicídios dolosos, em comparação com o mesmo período de 2017.
*É… Bom, bom não está não.
*Nem perto disso.
*Mas pode-se dizer que há certa vantagem a se comemorar.
*Da polícia para a política…
*Ainda repercutindo o resultado da pesquisa Ibope, divulgada nesta terça, sobre a corrida presidencial.
*E, como já era esperado, após o atentado recente, o presidenciável Jair Bolsonaro apareceu com vantagens significativas sobre seus concorrentes.
*Além do crescimento de quatro pontos percentuais em relação à pesquisa de agosto do mesmo instituto (de 22% para 26%)…
*Bolsonaro aumentou a sua popularidade na pesquisa espontânea;
*Conseguiu redução nos índices de rejeição (fator muito considerado por quem entende de pesquisas);
*E melhorou o desempenho num possível segundo turno, chegando a empatar em três dos quatro cenários simulados.
*Rapaz…
*Tá começando a dar medo disso aí ó.
*Ainda sobre pesquisas, agora no cenário local…
*Tem levantamento novo vindo por aí, dos confiáveis (cri cricri!), previsto para a próxima semana.
*Não é querendo puxar saco dos vizinhos da TV Gazeta, não…
*Mas, analisando friamente e, principalmente, com menos paixão partidária possível…
*A última pesquisa divulgada pela emissora, da Real Time/BigData, parceira da Rede Record, foi a que pareceu mais condizente com o cenário visto, à época, no Estado.
*Com todo respeito a outros institutos de pesquisa, locais e nacionais, o fato que a maioria está ligado, de algum modo, a este ou aquele grupo político na disputa.
*E o que parece é que essa “subjetividade” acaba contaminando, propositadamente ou não, o resultado do trabalho.
*Enfim…
*Vamos acompanhar os próximos capítulos.

Assuntos desta notícia