Gazetinhas – 22.11.2018 – Jornal A Gazeta

Gazetinhas – 22.11.2018

*Transição a todo o vapor…
*E o futuro governo vai ganhando cara e corpo, com a divulgação da equipe que irá assumir as principais pastas da administração estadual.
*O anúncio oficial será feito, nesta sexta-feira, pelo governador eleito Gladson Cameli, conforme anunciado pela coluninha.
*Mas, vários nomes do primeiro escalão já foram confirmados.
*Entre eles, ontem, o do próximo secretário de Educação, professor Mauro Sérgio Ferreira da Cruz.
*Mestre em Educação, especialista em Gestão Escolar pela PUC de Goiás, Mauro Sérgio atuou na Fundação Bradesco e, atualmente, é vice-diretor de Ensino da Faculdade Diocesana São José.
*Uma figura bastante conhecida na oposição e que, portanto, deve ser aprovado pela maioria, sem muitas ressalvas.
*A confirmação do professor, aliás, põe fim, definitivamente, às confabulações em torno do nome do ex-reitor da Ufac, Minoru Kinpara.
*Kinpara, que foi candidato ao Senado, nesta eleição, e conquistou uma expressiva e surpreendente votação, chegou a ser sondado diretamente pelo vice-governador Major Rocha.
*Mas, rifado, dias depois, devido à pressão política dos aliados de Gladson Cameli, que não aceitaram a ideia de um representante “independente” ou até um tanto ligado às lideranças da FPA, para assumir uma pasta tão importante.
*Faz parte do jogo complexo (ou simplório demais!) da política.
*E, neste caso, uma pena, a contar pela competência técnica reconhecida e a vasta experiência na área do ex-reitor.
*Enfim.
*Junto com a confirmação do novo secretário, foi adiantada também a nova composição da Secretaria de Educação e Esporte, que englobará, a partir do ano que vem, a gestão da Fundação Elias Mansour.
*E a PTzada pira!
* (Que língua!).
*Mas, falando sério…
*Entre os servidores estaduais, petistas ou não, é grande a expectativa (e o receio, claro) sobre a reforma administrativa que será feita para o próximo governo.
*Nos bastidores, circula a informação de que serão mantidas, no máximo, de 10 a 15 secretarias.
*Atualmente, são mais de 20, além de assessorias especiais, autarquias, fundações públicas, como é o caso da FEM.
*Bom, se conseguir enxugar isso aí e ainda acomodar os principais aliados políticos que, obviamente, estão fazendo muita pressão por cargos e poder…
*Gladson poderá dizer que iniciou o governo operando o seu primeiro milagre.
*Cri cri cri.
*Exageros à parte e dadas as expectativas internas e externas pela propalada “mudança”, é, sem dúvidas, o primeiro desafio (de muitos) que deve ser enfrentado.
*A conferir.

Assuntos desta notícia