Gazetinhas – 24.02.2018 – Jornal A Gazeta

Gazetinhas – 24.02.2018

*Semaninha pesada, cheia de bafões!
*Um deles ocorreu, ontem, durante a audiência pública que discutia a desestatização da Eletrobras-Acre.
*No auditório da Fecomercio, o evento acabou em confusão, tumulto e gente ferida (!) após um grupo de manifestantes tentarem invadir o palco e serem contidos pela PM.
*Representantes dos sindicatos do setor elétrico reclamaram que muitas pessoas da categoria foram impedidas de entrar para assistir os debates.
*Do outro lado, por meio de nota, o BNDES, que presidia a audiência, afirmou que, no momento de tentativa de invasão, o espaço já estava com lotação máxima e, atendendo à recomendação do Corpo de Bombeiros, não poderia ser permitida a superlotação.
*Resultado:
*Daqueles episódios grotescos, em que todos perdem a razão…
*E que não contribuem em nada para a solução do problema.
*Coisa feia, minha gente.
*Outro bafão dos mais terríveis da semana, do mês, do ano até, foi o caso da criança de quatro anos contaminada pelo vírus HIV, durante uma transfusão de sangue em Rio Branco.
*A notícia ganhou repercussão, na tarde da última quinta-feira, nas redes sociais e alguns sites de notícias locais;
*Mas tamanha a gravidade do problema e diante de tantas informações falsas e irresponsáveis propagadas diariamente na rede, muita gente, inclusive da imprensa, ficou sem acreditar que poderia ser verdade…
*Até a divulgação de uma nota oficial, que veio no início da noite, assinada pelo secretário estadual de Saúde, Gemil Júnior, e a gerente-geral do Hemoacre, Elba Luiza.
*Em comunicado em tom sensível pesaroso, eles classificaram o episódio com “uma fatalidade”…
*Que “a despeito de toda tecnologia no Acre, em qualquer estado do Brasil e outros países, qualidade e eficiência envolvidas nos procedimentos dos serviços de hematologia, enquadra-se na margem de risco, sendo uma realidade dos acidentes transfusionais”.
* (Pausa para um suspiro);
*Uma realidade bem dolorosa e difícil de se compreender, viu…
*Inclusive, certamente, para o governador Tião Viana, que é médico, gestor e, acima de tudo, um humanista convicto.
*Em entrevista, na manhã de ontem, a gerente do Hemoacre garantiu que o Centro irá deixar a triagem de doadores “mais rigorosa”.
*E chamou a atenção para que os doadores de sangue tenham mais responsabilidade, que não mintam ou omitam informações durante a entrevista.
*Está certa.
*Porém, neste caso, há bem mais “responsabilidades” que precisam ser apuradas, além da omissão dos doadores.
*Dizer mais o quê, né?!
*Triste e lamentável sob todos os aspectos.

Assuntos desta notícia