Governador anuncia mais de R$ 320 milhões para obras inacabadas e Segundo Distrito pode ganhar mais um PS – Jornal A Gazeta

Governador anuncia mais de R$ 320 milhões para obras inacabadas e Segundo Distrito pode ganhar mais um PS

O Governo do Estado vai começar imediatamente a reativação dos canteiros de 123 obras inacabadas, num aporte de mais de R$ 320 milhões em recursos que já estão na conta do Estado. Para isso, deve contar com o auxílio do Sindicato da Construção Civil para organizar as frentes de serviço.

“Precisamos gerar novos empregos porque sabemos que o trabalho e renda contribuem para a redução da violência. E com essas novas obras estaremos gerando cerca de 20 mil empregos diretos e indiretos. Sem contar que estaremos movimentando o comércio local que vai fornecer os insumos necessários”, afirmou o governador do Estado do Acre, Gladson Cameli, na edição de número 19 do programa de rádio ‘Fale com o Governador’, que vai ao ar toda segunda-feira pelo Sistema Público de Comunicação.

Na Saúde, ele anunciou a possibilidade de mais um pronto-socorro em Rio Branco, no Segundo Distrito da cidade. Cameli disse que a viabilidade de um novo PS onde hoje funciona a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Seguindo Distrito, além de permitir um aumento significativo de leitos, trará mais comodidade aos moradores da região.

O governador anunciou também a inauguração da UPA de Cruzeiro do Sul para a última semana deste mês, a entrega do Instituto de Traumatologia do Estado (Into) do Acre e o início das obras do hospital regional de Sena Madureira todas ainda para este ano.

“Os desafios na Saúde são grandes, mas vamos vencer todos eles. Agora neste domingo tivemos o concurso para 340 vagas em todas as áreas e continuaremos com propósito firme de fazer as coisas funcionarem como devem ser”, frisou o governador.

Mais 110 novas viaturas – O governador também manifestou a sua satisfação pelo estado ter comprado 110 novas viaturas para as polícias e Corpo de Bombeiros, no valor de R$ 15,1 milhões. As caminhonetes devem chegar em 60 dias a um custo de R$ 140 mil cada uma.

Assuntos desta notícia