MS libera R$ 250 mil para tratamento de meninas que adoeceram após tomar vacina do HPV – Jornal A Gazeta

MS libera R$ 250 mil para tratamento de meninas que adoeceram após tomar vacina do HPV

O Ministério da Saúde (MS) liberou R$ 250 mil para custear as despesas médicas das meninas que adoeceram após tomar a vacina do HPV no Acre. As jovens receberão diagnóstico e tratamento no Hospital das Clínicas de São Paulo, na Universidade de São Paulo (USP).

Neste primeiro momento, duas meninas serão encaminhadas para o hospital. Sabrina e Winieviski e Valéria Nascimentos sofrem com reações após tomar a primeira dose da vacina contra HPV, em 2014. Alguns dos sintomas são dores de cabeça intensas, desmaios, convulsões e sangramento.

No Acre, outras 45 meninas adoeceram depois de tomar a vacina. Os casos estão sendo investigados pelo Ministério da Saúde e acompanhados pelo Governo do Estado.

Segundo a senadora Mailza Gomes, o Governo do Estado está empenhando em solucionar o problema das jovens.

“Aqui em Brasília levei a situação ao Ministério da Saúde, à ministra Damares e também conversei com a primeira-dama, Michelle Bolsonaro sobre o drama dessas meninas do nosso estado. Pedi agilidade no diagnóstico e tratamento, agora, a liberação desses recursos para o Hospital das Clínicas da USP possibilitará o tratamento dessas jovens que há anos vem sofrendo com essas sequelas”, acrescentou.

Mães fazem rifa

A mãe de Sabrina, a autônoma Bruna Melo explica que as jovens passarão cerca de duas semanas realizando exames na USP. Mesmo sem data marcada para a viagem, as famílias estão se mobilizando para arrecadar recursos.

Para custear as despesas das jovens com alimentação, transporte e estadia, as famílias estão promovendo uma rifa no valor de R$ 10. Serão sorteados um mês de Spa Detox, um mês de pilates ou RPG, e uma passagem de ida e volta para o Nordeste.

O sorteio, que acontece no dia 20 de maio, será transmitido ao vivo pelo programa de rádio da Rose Lima e através das redes sociais.

Os interessados em comprar a rifa podem entrar em contato através do telefone (68) 99233-6566.

 

 

Assuntos desta notícia