Muito o que fazer – Jornal A Gazeta

Muito o que fazer

Por mais dificuldades e incertezas que envolvem a conjuntura nacional, o Acre registra hoje mais um aniversário de sua elevação a Estado e sempre há motivos para comemorar, considerando que adquiriu sua emancipação política e administrativa.
Ao longo desses anos, não há como não reconhecer que muitas realizações positivas foram feitas pelos sucessivos governos, mas, sobretudo, pela sociedade civil organizada e atualmente o Estado é uma boa referência na política de desenvolvimento sustentável, mais reconhecido por outros países do que, talvez, no âmbito interno.
Contudo, há muito o que fazer e cada Governo que assume tem a sua quota de responsabilidade, como por exemplo, o atual Governo que se elegeu por ampla maioria, mas até agora, nesses primeiros seis meses ainda não conseguiu organizar a máquina pública, se enredando em nomear e des-nomear secretários e assessores.
Com isso, os serviços públicos essenciais e obrigatórios, como os da Saúde e Segurança Pública, se agravaram e a sociedade começa a cobrar menos política pequena e mais eficiência na prestação desses serviços.
Além disso, o governador e seus auxiliares sabem ou deveriam saber que o Acre ainda depende e muito dos recursos da União e, com o atual Governo que dirige o país, pouco ou nada se pode esperar.

Assuntos desta notícia