O poder destruidor do orgulho – Jornal A Gazeta

O poder destruidor do orgulho

 

“Quem é orgulhoso a si próprio devora”, William Shakespeare

 

Olá, tudo bem?
E então, você é uma pessoa tomada pelo orgulho? Ou é orgulhoso demais para admitir o quanto está tomado pelo orgulhoso?
Sabe meu querido, minha querida, o orgulho é tão sutil que é capaz de agir em nosso dia a dia sem ao menos percebermos. Quer exemplos?
Pois bem, o orgulho não permite que enxerguemos nossos defeitos, que admitamos nossos erros, não deixa irmos ao outro para pedir desculpas, ou perdão se for o caso, não aceita ser corrigido, afinal, está sempre certo, não aceita a realidade mesmo diante dos fatos, uma dificuldade incrível de sensibilizar-se com a dor do outro. O orgulho leva a pessoa a perder, inclusive, o grande amor da sua vida. O poder dele é tão grande e maligno que domina o espírito, as palavras, o seu interior. Aos poucos, vai te deixando sozinho, afinal, você com o seu orgulho afastou todos, então vai precisar aprender a viver só e na saudade, caso deseje permanecer assim.
O poder do orgulho é tão grande que rouba inclusive, a nossa felicidade e a paz, pois quando as circunstâncias mudam nasce o mau humor, a dor leva ao ódio e a dona amargura rouba a delícia da doçura.
Nossa mente fixa em determinada exigência feita por nossa identidade, ou seja, fixa nas concepções que criamos segundo nossas crenças pessoais à cerca do mundo, distorcendo a realidade.
Por exemplo, observe essa crença pessoal: Eu sou o melhor, o mais inteligente, o mais esperto, e o mais bonito! Essa é a fala da atual geração, a supervalorização do EU. E, infelizmente, muitas de nossas crianças estão recebendo esse reforço dentro do próprio lar, sem que os pais, ou os responsáveis, percebam que estão estimulando o orgulho associado ao egoísmo, afinal, “se eu sou melhor que todos, então, nunca aceitarei outro lugar”.
O orgulhoso acredita e super valoriza tanto essas crenças, que afasta aqueles que estão em nossa volta, pois é extremamente cansativo e muito chato a convivência com pessoas dominadas por este considerado o pior dos sentimentos negativos. Afinal, não aceita nem sequer ouvir que é orgulhoso.
Será que em sua família o orgulho tem sido manifestado? Observe se existe dentro de sua casa, como por exemplo: brigas, ofensas, grosserias, raiva, agressão, pessoas que não se falam, justos demais, críticos. Será que você e os demais membros estão permitindo que a paz seja roubada, afinal, não conseguem admitir que estão errados, e nem que isto está acontecendo dentro de sua casa, no seio de sua família. Cuidado! O orgulho pode estar afastando, destruindo vocês!
E quanto à sua vida amorosa, o orgulho está presente? Roubando momentos de prazer e intimidade? Alguns companheiros são exageradamente independentes, autossuficientes, exigentes, muito preocupados com eles mesmos, colocando-se sempre na defensiva. Acham que não tem nada do que se arrepender preferindo a separação, o rompimento ou até mesmo os conflitos permanentes, a ter de reconhecer, admitir que precisam mudar, pedir desculpas, perdoar, para então, terem uma relação mais saudável.
E sabe de uma outra coisa? O orgulho destrói também relações no trabalho. Afinal, o orgulhoso se incomoda com o carisma, o profissionalismo, a capacidade e a simpatia do seu colega. E mais, deseja o sucesso a qualquer preço. Sua arrogância causa antipatia.
Sabe, aqui pra nós, onde há o poder do orgulho está presente, consequentemente, a hipocrisia, as armadilhas, os planos maquiavélicos, brigas e o desejo por reconhecimento. E outra mais, os orgulhosos ficam feridos, incomodados quando o outro é promovido e eles são ignorados. Vivem em um mundo de trevas e morre de ódio de quem tem luz. Assustador, não é? Então se liga! Abra os olhos!
Interessante é que eles sempre acham que não há nada do que se arrepender. Às vezes, escuto algumas entrevistas de artistas na televisão, e escuto algumas respostas do tipo: “Eu não me arrependo de nada que fiz nessa vida…”. Quanta tolice, quanto orgulho! Essas palavras mostram que tem vivido e quase nada aprendido. O arrependimento faz parte para dar início ao processo de mudança, o que eu não devo é viver me culpando, isso seria doentio, mas arrepender-se é sinal de humildade, sim, de sabedoria, e até mesmo de inteligência emocional.
Eu não posso deixar de mencionar que a pessoa orgulhosa tem uma facilidade incrível de culpar o outro e de não assumir os seus próprios erros.
Diante disso, o que acha de fazer a seguinte reflexão: Em qual área de sua vida o orgulho tem dominado? Como o orgulho tem roubado a sua felicidade?
O que acha de direcionar o seu olhar para dentro de você? Mergulhar no espelho de sua alma? Inicie a viagem, vamos!
E, nesta viagem, veja a possibilidade de fazer mudanças construtivas que te levem a uma vida de paz. Tenha consciência, procure não se ver como merecedor, aproxime-se de pessoas, esteja disposto a amar, aprenda a receber críticas de forma humilde e aberta, admita seus erros e peça perdão, busque a reconciliação, seja sincero, arrependa-se, alegre-se com a felicidade e conquista do outro.
Pense na humildade, pois é através do exercício dela que admitimos, reconhecemos e nos disponibilizamos a se corrigir e aprender quantas vezes necessário for.
Então meu querido, minha querida, não deixe que o orgulho destrua a sua vida, a sua felicidade!

Um grande abraço!
Fica com Deus!

Assuntos desta notícia