Operação Círculo de Fogo prende suspeitos de planejar ataques contra membros da Justiça – Jornal A Gazeta

Operação Círculo de Fogo prende suspeitos de planejar ataques contra membros da Justiça

A Polícia Civil do Acre cumpriu 28 mandados de prisão contra suspeitos de diversos crimes, entre eles, o de planejar ataques contra membros do Ministério Público (MP-AC) e Tribunal de Justiça do Acre (TJ-AC). A Operação Círculo de Fogo ocorreu na cidade de Brasileia e Epitaciolândia, interior do estado.

As investigações da ação começaram em 2017, porém, as prisões tinham sido indeferidas pela Justiça, segundo a polícia. Nesta terça-feira, 17, a Justiça autorizou o cumprimento de 30 mandados judiciais e polícia prendeu os criminosos.

Dos 30 mandados, 14 foram cumpridos dentro em dois presídios da capital acreana, Rio Branco, e outros 14 nas cidades de Brasileia e Epitaciolândia. Ainda há dois mandados a serem cumpridos porque os acusados estariam foragidos na Bolívia, país vizinho.

 

Operação

O delegado Luiz Tonini explicou que as investigações iniciaram em 2017, com o delegado Karlesso Nespoli. Ele disse que o colega não conseguir prender os suspeitos porque a Justiça não tinha deferido os mandados judiciais.

“Na época, já havia batizado a operação com esse nome e representado pelas prisões de vários indivíduos ligados a ações criminosas como homicídio, coação de testemunhas, narcotráfico. Era o início das ações contra as facções aqui no interior, que ele tentou combater, mas o juiz não deferiu na época. Agora, resolveu deferir as prisões, e a gente deu cumprimento”, complementou.

Tonini acrescentou que os suspeitos presos já cumprem medida por algum outro tipo de crime. A polícia agora espera uma cooperação das autoridades bolivianas para tentar localizar e prender os últimos dois procurados.

“Não depende só da nossa ação, mas da colaboração e diplomacia nacional com a polícia de lá para que possam ajudar na localização e prisão deles. São membros de organizações criminosas. Isso é a resposta que a polícia dessa região dá contra a criminalidade”, concluiu.

Assuntos desta notícia