Política Local – 09/08/2019 – Jornal A Gazeta

Política Local – 09/08/2019

Pacificado

“Aqui a discussão é política. Portanto, não tem crise”. A frase é do deputado Edvaldo Magalhães ao comentar a saída do deputado Jenilson Leite, do PCdoB. O PCdoB conta agora com um deputado estadual, Edvaldo Magalhães; um vereador em Rio Branco, Eduardo Farias; e um parlamentar federal, a deputada Perpétua Almeida. O partido encolheu, não há como negar isso.

Ajustes

Quem pensa que Jenilson Leite (PSB) trabalha para se fortalecer só em Rio Branco engana-se. Ele também tem trabalhado firme para fechar uma parceria com o deputado federal Jesus Sérgio, do PDT, para disputar a Prefeitura de Tarauacá. Um nome seria abençoado por eles. Resta saber quem.

Preparado

O certo é que tanto Edvaldo quanto Jenilson são dois quadros preparados. Talvez faltou ao PCdoB lidar com isso e apascentar os dois no mesmo espaço. Mas, deixar partir quem não quer ficar é melhor que viver infelizes, já dizia minha avó.

Rendendo

Ainda rendendo muito a história da suplementação dita pelo governador Gladson Cameli (Progressistas). O seu Zé e a dona Maria lá do “Vai Quem Quer” ou do “Oco do Mundo” entenderam que se trata de uma grana extra. Embora não sendo. Desfazer essa história é o nó.

Fica difícil

Ficou difícil para o presidente da Aleac, deputado Nicolau Júnior (Progressistas), rebater as declarações de Gladson Cameli. Além de serem membros do mesmo Partido, são cunhados. Ajeita-se no trabalho, mas arruma problema em família.

Cutuca

O deputado Fagner Calegário (Sem Partido) fez uma proposta ao governador Gladson. Disse: por que não se questiona a suplementação do Judiciário? Para ele, o Legislativo é como jumento sem dono, todo mundo joga a cangalha.

Fiscalizando

O Ministério Público Estadual recomendou ontem, 8, que o governador Gladson Cameli e a prefeita Socorro Neri  façam uma varredura na folha de pagamento. A ideia é identificar servidores que acumulam dupla função, seja efetivos ou comissionados.

CPI

O deputado Daniel Zen, presidente da CPI da Energia, disse que os membros vêm trabalhando para que a Comissão não termine em pizza, ou seja, não apresentem resultados palpáveis. “Estamos trabalhando de modo firme e consistente para que a CPI não acabe em pizza e para que resulte em melhorias no serviço de distribuição de energia elétrica no Acre”.

Dando o que falar

A decisão da secretária de Estado de Saúde, Mônica Machado, tem dado o que falar. Tudo bem que ela tenha transferido médicos e anestesistas do Hospital das Clínicas para o Pronto Socorro de Rio Branco. Mas, não poderia ter feito isso após o encerramento de um concurso para a Fundhacre?

Entendo

Entendo que há uma recomendação do Tribunal de Contas do Estado (TCE) nesse sentido. Até aí tudo bem, é compreensivo que a secretária esteja preocupada com as normas administrativas. Mas, será que não faltou diálogo com os conselheiros a respeito da situação. Descobriu um santo para cobrir outro.

Ferrenho

O senador Marcio Bittar tem sido um ferrenho defensor do desenvolvimento do Acre, não importando como isso aconteça. Compara o Acre ao Estado de Rondônia e diz que lá aconteceu desenvolvimento porque houve liberdade para o desmate. De acordo com ele, o Acre deveria seguir o mesmo caminho.

Em partes

Concordo em partes com o senador nesse aspecto da geração de riquezas. Por outro lado, penso que preservar os ecossistemas e buscar outras formas de desenvolvimento menos expansivas como a pecuária de corte ou o plantio de soja, por exemplo, se fazem necessários. Por que não se instala aqui uma filial da Zona Franca de Manaus, ou se fomenta o turismo ecológico e rural?

Mostrando a cara

O presidente da executiva municipal do Partido dos Trabalhadores, ex-senador e ex-deputado federal Sibá Machado, disse que a sigla trabalha para lançar um nome para as eleições municipais de 2020 para a Prefeitura de Rio Branco.

Críticas

Sibá Machado fez críticas diretas ao governador Gladson Cameli e ao presidente da República, Jair Bolsonaro. Acrescentou que “os dois não sabem governar. Não têm noção do que é governar. É decepção todos os dias. Estão vendendo uma ilusão para o brasileiro”.

Assuntos desta notícia