Política Local – 13/08/2019 – Jornal A Gazeta

Política Local – 13/08/2019

Polêmica

O deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) apresentou uma indicação parlamentar na última semana solicitando que o Governo do Estado reduza o ICMS apenas para as pequenas empresas que fazem o serviço de táxi aéreo no Estado.

Polêmica II

Segundo o parlamentar, ao isentar apenas as grandes companhias, não mudou em ganho para os acreanos, isso porque não houve redução no preço das passagens em voos operados para o Estado. Na visão de Magalhães, é necessário rever a medida.

Irritado

O governador Gladson Cameli (Progressistas) ficou visivelmente irritado com a lentidão na recuperação de ramais. Ao ser chamado atenção por uma ouvinte do ramal de acesso ao Polo Wilson Pinheiro, na Transacreana, Gladson descontou na conta do diretor do Deracre, Ítalo Medeiros.

Não é a primeira vez

Não é a primeira vez que Gladson chama atenção de seu secretariado em cadeia de rádio. Nos corredores do Palácio, este foi o assunto ontem. Cameli erra quando toma esse tipo de “saída” para os problemas. Cria mal-estar em sua equipe que passa a atuar na incerteza.

Investimentos

Tirando a bronca do Ítalo e do diretor regional em Feijó do Deracre, o governo parece começar a entrar nos trilhos. Anunciou investimentos de mais de R$ 320 milhões em parceria com empresários locais. Com isso, o governo espera gerar 20 mil empregos na construção civil.

Seis por meia dúzia

Na última sexta-feira, 9, Estado anunciou uma compra direta em São Paulo de 110 viaturas para Segurança. O governo diz que economizou R$ 30 mil em cada uma delas, gerando uma economia final de pouco mais de R$ 3 milhões. Foi uma economia razoável, mas se a compra tivesse sido feita aqui fortaleceria o empresário local e garantiria os empregos. Se continuar assim, em pouco tempo muitos fecharão as portas.

Não há como negar

Não há como negar que o governo e as prefeituras são os principais compradores do empresariado local, em todos os seguimentos. O Acre ainda não tem uma economia forte. Negar isso é agravar a crise já existente. É simples.

Pegou pesado

O ex-deputado estadual Walter Prado voltou ao cenário no começo desta semana. Disse a um site local que é necessário uma megaoperação com policiamento nas ruas impondo toque de recolher a partir das 22 horas. Quem estiver sem a documentação, será encaminhado à delegacia e poderá ficar detido por até 15 dias para ser investigado. Resta saber se a OCA está emitindo as carteiras de identidade no prazo, porque senão haja cela.

Fundamental

Ele destaca que “quem não elucida, não combate”. O Acre elucida apenas 27% dos crimes hediondos. O terceiro menor do País, em termos proporcionais. Nesse ponto, Walter Prado tem razão. Ele firma seu posicionamento em estudos divulgados pelo FBI, a polícia federal americana. Para ele, a sensação de impunidade favorece o crime.

Em setembro

Durante o Fale com o Governador, programa produzido pela Rádio Aldeia FM 96.9, que vai ao ar todas as segundas-feiras, Gladson Cameli afirmou que em setembro será instalado o Batalhão de Fronteira. Contará com o apoio das polícias Rodoviária Federal e Federal, além do Exército e Polícia Militar do Acre.

Difícil

Penso ser pouco provável que o diretor-presidente da Emater, Tião Bocalom, seja candidato à Prefeitura de Rio Branco pelo Progressistas. Isso só será possível se Minoru Kinpara não se filiar ao PSDB, do vice, Major Rocha. Certamente, Gladson não vai querer quizila com o vice, pois extrapolaria o campo da ética e da política.

Sancionada

Sancionada a lei aprovada na Assembleia Legislativa, de autoria do deputado Roberto Duarte (MDB), que proíbe o corte dos serviços de água, telefone, internet e energia elétrica, nos finais de semana, iniciando na sexta-feira; e véspera de feriado. Esse é mais um projeto que Duarte consegue sanção pelo governador Gladson Cameli.

Crítica

A situação é crítica no Instituto Federal de Educação (Ifac). Com um déficit de quase R$ 2 milhões por conta do corte nos repasses pelo Governo Federal, os serviços de extensão e pesquisa estão prejudicados. Apenas os serviços básicos seguem funcionando para manter o ensino nas unidades.

Assuntos desta notícia