Política Local – 16/05/2019 – Jornal A Gazeta

Política Local – 16/05/2019

Na Aleac

A nova reforma administrativa já está na Assembleia Legislativa. O chefe da Casa Civil, Ribamar Trindade, foi pessoalmente deixar o texto na Casa do Povo. E como já era de se esperar, ele reforçou a importância da aprovação da proposta.

Contrário

Quem já se mostrou contrário à parte da reforma foi o deputado Roberto Duarte (MDB). O emedebista disse que vai votar contra a proposta de aumento de cargos comissionados, que em tese ocorre para satisfazer o pedido de parte dos parlamentares estaduais.

Mentira

O governador já desmentiu os rumores de que a nova reforma irá aumentar cargos comissionados. Mas, nos corredores da Aleac a conversa que circula é outra.

Contraditório I

Gladson iniciou o governo com um discurso de que era necessário enxugar a máquina pública para colocar ordem na Casa. Passado pouco mais de cem dias do seu governo, declarou à imprensa que estuda a possibilidade de decretar calamidade financeira no Estado. As medidas adotadas não estavam sendo o suficiente devido às altas dívidas do Acre. Agora se fala em aumentar cargos comissionados. Chega a ser contraditória essa linha de ações.

Contraditório II

A pergunta que não quer calar: o financeiro do Estado já se equilibrou? Não será mais necessário decretar calamidade financeira? O que mudou?

Anda tudo bem

Esse ponto na reforma nos leva a crer que o Acre não está tão ruim das pernas, tendo em vista que o governo se dá ao luxo de aumentar a folha de pagamento.

Justificativa

O chefe da Casa Civil diz que são “ajustes pontuais que serão feitos na Lei, pois foram detectados alguns entraves de gestão que estavam emperrando o fluxo da administração”.

Vai provar

Quem não engoliu essa justificativa foi o deputado Fagner Calegário (PV), que já até prometeu provar que o Acre não vive nenhuma crise financeira. “Se há crise, é entre eles, mais financeiramente não existe”, declarou o oposicionista.

Movimentação financeira

O parlamentar apresentou informações da movimentação financeira do Estado informando que no primeiro quadrimestre de 2019 a receita total do Estado foi R$ 1,7 bilhão, R$ 369 milhões a mais do que o previsto na Lei Orçamentária que tinha como previsão R$ 1,4 bilhão.

Sobrou

Ele ainda enfatizou que a despesa do quadrimestre foi de R$ 997 milhões, sobrando nos cofres R$ 781 milhões. “Dinheiro tem. Só queremos saber o que está sendo feito”, criticou.

Expulso

O deputado estadual Neném Almeida está sendo “convidado” a deixar o partido Solidariedade. A decisão foi tomada após reunião da executiva regional na terça-feira. O motivo: ele tem agido em contrariedade aos anseios do partido. Ou seja, não aceita as determinações da direção da sigla.

Milani

“Uma forma de fazer política que não condiz com o que nós, do Solidariedade, pesamos”, disse Israel Milani, presidente do Solidariedade.

Verdadeiro motivo

Nos bastidores, porém, o que se comenta é que o que gerou a expulsão de Neném foi o fato de ele ter arquitetado a exoneração do colega de partido, André Hassem, da presidência do Imac.

Revoltado I

O deputado Gehlen Diniz (PP) desmentiu ontem, durante sessão na Aleac, a informação de que seria o parlamentar que detêm o maior número de cargos no governo de Gladson Cameli. Ele se disse vítima de jogo sujo por parte de “pessoas do governo”.

Revoltado II

Gehlen não só colocou os cargos à disposição do governo como também frisou que prefere ir para a oposição do que ficar sofrendo fogo amigo. Faz parte do jogo!

Presidente, vice e relator definidos

Uma reunião de cerca de 30 minutos definiu os parlamentares que presidirão a Comissão Parlamentar de Inquérito que vai apurar questões ligadas à distribuição de energia elétrica no Acre. A chamada CPI da Energisa. O deputado Daniel Zen (PT) ficou definido como presidente. Chico Viga (PHS) será o vice-presidente e Cadmiel Bomfim (PSDB) o relator.

Alvo de críticas

Até o momento, o secretário de Saúde do Estado, Alysson Bestene, foi o gestor que mais recebeu críticas por parte dos deputados estaduais. Ontem foi a vez do deputado Luiz Gonzaga (PSDB). O tucano acusa o gestor da saúde de ser incompetente. A fala ocorreu após a veiculação de matéria na qual afirma que o Lar dos Vicentinos de Cruzeiro do Sul vai fechar as portas por falta de recursos.

Mentiu?

O deputado revelou que ligou para o secretário, mas ele não teria atendido a ligação e quando atendeu, disse que estava em reunião na Casa Civil. “Como ele tá na Casa Civil se o Ribamar tá aqui na Aleac?”, questionou Gonzaga.

Irônico

Se tem uma coisa em comum entre a gestão anterior e a atual é o desdém dos secretários de Estado com relação ao parlamento estadual. O engraçado é que ao final acabam pleiteando uma vaga na Casa Legislativa.

Assuntos desta notícia