Política Local – 17/09/2019 – Jornal A Gazeta

Política Local – 17/09/2019

Ainda é cedo

A prefeita de Rio Branco, Socorro Neri (PSB) admite que ainda é cedo para qualquer discussão eleitoral visando as eleições 2020. Ela destaca que não tem pretensão em sair do PSB e estar alinhada com os ideais do partido no Acre. A saída dela está fora de cogitação.

Uma dança apenas

Na política qualquer ato, torna-se um fato. Na última semana, ao agradecer ao senador Sérgio Petecão (PSD/AC) pelo apoio no envio de emendas para a construção de uma quadra esportiva, Socorro Neri dançou com Petecão, mas não passou disso para ela. Enquanto que, para Petecão, foi sinal de que pode ter Socorro Neri disputando a eleição em 2020 pelo PSD.

 O certo

O certo é que Socorro Neri não tem tempo a perder, e ela sabe disso. O momento é de trabalho e trabalho. Deixar a cidade mais organizada possível, antes do inverno amazônico, é sua meta.

Professores

Em 2020, só vai dar livros. Já estariam “garantidos”: Minoru Kinpara (PSDB), que se filia no próximo dia 21; e Raimundo Angelim, ex-prefeito de Rio Branco, que também é cotado para ser pré-candidato pelo PT. Em 2020, os partidos vão estar cada um por si. Muitos vão para a disputa do tudo ou nada, apesar de haver coligações para candidaturas majoritárias.

Saúde

A crise na Saúde parece estar longe do fim. A verdade é que o sistema de atendimento aos pacientes piorou muitos nos últimos 8 meses de gestão. O que era esperado de mudanças parece ter caído em uma ciranda de confusões. Para agravar, o desentendimento do governo com servidores da Saúde colocou mais lenha na fogueira.

Influente

De patinho feio para o homem mais influente do governo Cameli. Assim tem sido a trajetória de Alysson Bestene dentro do governo. Gladson Cameli errou ao tentar inventar a roda e tirar da Saúde Alysson Bestene e importar secretários. Gladson tem apenas 3 meses para enxugar a máquina da Saúde e fazê-la andar bem. Em 2020, não terá mais espaço para desculpas.

Não pode errar

Isso porque em 2020, Gladson Cameli vai executar um orçamento já pensado por sua equipe. Nesse sentido, a oposição não o terá mais como inocente. Vai cobrar resultados para os problemas que afligem os acreanos. Outro ponto, à medida que o governo avança no mandato, a figura “a culpa é do PT” vai ficando distante, perdendo o sentido.

Surpreendendo

O deputado federal Manuel Marcos (PRB/AC) tem surpreendido. Quem pensava que sua atuação ia ser ao lado dos mudinhos, enganou-se. Tem buscado movimentar o mandato. Se continuar nesse ritmo de trabalho, em 2022, poderá disputar a reeleição com folga. Embora, aguarde, ainda, julgamento de processos contra ele no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Surpreendendo 2

Se Manuel Marcos segue em Brasília alavancando o mandato e conseguindo evidenciá-lo, na Aleac o deputado Chico Viga (PHS) tem feito o mesmo. Chico parece que pegou gosto pelo parlamento e resolveu fazer diferente nesse mandato. Faz uma dobradinha ali com o deputado Edvaldo Magalhães, o que garante aos dois o fortalecimento do mandato. Uma espécie de um chuta e o outro cabeceia.

 Combate ao crime

Brasil e Bolívia vão ampliar as ações de combate ao narcotráfico. É o que diz um documento publicado ontem, 16, no Diário Oficial da União. A ideia é ampliar atuação das polícias dos dois países na faixa de fronteira. Bolívia e Brasil parecem acordar para o problema que atinge a todos.

Flexibilização

Senadores podem aprovar hoje, 17, um projeto de lei já aprovado na Câmara que prevê a flexibilização na prestação de contas por parte dos partidos no país. Pelo texto, o uso do sistema da Justiça Eleitoral será facultativo. Isso poderá colocar fim a padronização na prestação de contas e assim abrir brechas para reduzir o alcance da fiscalização. O PL permite até a contratação de advogados utilizando a verba partidária.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Assuntos desta notícia