Política Local – 21/06/2019 – Jornal A Gazeta

Política Local – 21/06/2019

O pautou cantou…

O ex-líder do governo na Aleac, deputado Gehlen Diniz (PP), foi duro na tribuna ontem, 19, para dizer que a base governista não está esfacelada. Disse que chegou com os pares a informação. Mas, todos negaram. Quem ouvia Gehlen Diniz até acreditava que ele tinha voltado à liderança.

Mais Diniz

Gehlen Diniz afirmou que o deputado Luís Tchê está de bem com o governo, com os parlamentares e com a imprensa. Ele não entende uma possível saída do pedetista da liderança de Gladson Cameli.

O fato

O fato que ser líder é uma missão espinhosa, desgastante. Além dos problemas do mandato, o parlamentar tem que atender demanda de outros tantos. Se não há retorno na relação, não adianta ficar junto. Simples.

A resposta de Tchê

O deputado Luís Tchê disse que é necessário alinhar alguns pontos dentro do governo, entre elas, melhorar a interlocução entre o governo e o líder do governo. Ele pontuou que não pode ir à tribuna sem saber o que ocorre no governo, quais as ações implementadas.

Situação desconfortável

Segundo ele, está em situação desconfortável. Ele deve se reunir com o governador Gladson Cameli hoje para aparar estas arestas. Tchê disse que outro ponto agravante é o descontentamento de parlamentares com a exoneração de pessoas indicadas pela base. “Demitiu pessoas que estão trabalhando, tivemos o cuidado de verificar isso”.

Sair da liderança

O parlamentar rebateu a possibilidade de deixar a liderança do governo na Aleac. Disse que são “fofocas de setores da imprensa”. Mas, que há, sim, o descontentamento com essas questões pontuais.

Mão de ferro

O governador Gladson Cameli (PP) tem na Casa Civil uma pessoa mais técnica e menos política, o secretário José Ribamar. Afinar o discurso com a base é importante para o governo conseguir aprovar os projetos na Aleac. Sem uma boa base não há governabilidade.

Fiel escudeira

A secretária Claire Cameli e a primeira-dama Ana Paula Cameli são como Cosmo e Damião. Onde uma está a outra acompanha. As duas têm carisma. Algo natural. Ontem, Ana Paula foi homenageada na Câmara de Rio Branco, uma Moção de Aplausos indicada por Lene Petecão (PSD).

Polêmica

Os deputados estaduais aprovaram o projeto de lei de autoria do deputado Roberto Duarte (MDB). A matéria é polêmica. Isso porque a maioria dos apenados são pessoas de baixa renda. O que vai ter de preso pedindo isenção do pagamento…

Ajuda

Mas, se olhar por outro viés, o PL de Duarte colabora para que o criminoso pense duas vezes antes de cometer um crime. Saberá que não terá vida fácil ao ter que mudar de regime. É polêmico, divide opiniões, mas, no final, a ideia não é punir, e sim evitar que pessoas continuem entrando para o crime.

Fenômeno

O vice-governador Major Rocha (PSDB) e a deputada federal Mara Rocha (PSDB/AC) são fenômenos no interior do Acre. Um vídeo que circula nas redes sociais mostra os dois acompanhados do deputado estadual Luiz Gonzaga (PSDB), com uma multidão os recepcionando em Porto Walter.

Quase nula

Caso o ex-reitor da Ufac, Minoru Kinpara, decida-se pelo PSDB, certamente o governador Gladson Cameli (PP) vai apoiá-lo, por uma questão óbvia: não vai querer problemas com seu vice, Major Rocha. As chances da candidatura de Luziel Carvalho vingarem são quase nulas.

Se ausentou       

O senador Sérgio Petecão (PSD/AC) foi alvo de críticas por não ter participado da votação que derrubou o decreto de Bolsonaro que facilita o acesso à arma de fogo no País. A matéria que revogava o decreto foi aprovada pela maioria. Apenas 28 senadores, incluídos Marcio Bittar e Mailza Gomes (PP/AC), defenderam o decreto.

Não quis se indispor

Se estivesse em plenário, certamente Petecão votaria contra o decreto. Antes da votação, Petecão se lembrou do pai, assassinado. Comentou sobre a opinião da esposa quanto a ter armas em casa. Para evitar uma indisposição direta com Bolsonaro, optou por se ausentar.

Moro no Senado

O ministro da Justiça, Sergio Moro, esteve no Senado ontem, 19. Explicou aos senadores que não tem como confirmar se os diálogos expostos são dele, isso porque ele apagou o aplicativo e não havia salvado as conversas. O certo, que o que foi vazado já deu uma dimensão do problema. Moro colocou a idoneidade da Justiça em xeque.

DESTAQUE

A resposta de Tchê

O deputado Luís Tchê disse que é necessário alinhar alguns pontos dentro do governo, entre elas, melhorar a interlocução entre o governo e o líder do governo. Ele pontuou que não pode ir à tribuna sem saber o que ocorre no governo, quais as ações implementadas.

Assuntos desta notícia