Por “tempo indeterminado” – Jornal A Gazeta

Por “tempo indeterminado”

O que se previa e se temia acabou acontecendo: o prédio da Secretaria de Saúde amanheceu ontem ocupado por servidores do setor, que decretaram greve por tempo indeterminado, depois das negociações frustradas com representantes do Governo.

Com o governador viajando para Alemanha, onde dizem que foi aprender a apagar fogo, a situação ficou insustentável, levando-se em conta que a secretária da Saúde, assessorada por militares, não se tem mostrado em nenhum momento ao diálogo, cabendo ao governador em exercício Werles Rocha conduzir os entendimentos com a categoria, que tem se mostrado irredutível em suas reivindicações.

Ou seja, como já se assinalou, o próprio governador tem dito e repetido que há uma “cabeça de burro” enterrada no setor da Saúde e com essa paralisação por tempo indeterminado, “a cabeça” se afundará ainda no buraco que ele próprio cavou.

O que se pergunta é como ficará a população com essa paralisação, se o atendimento nas várias unidades do setor já era precário, beirando o caos. Ficará a agora sem atendimento algum, já que a greve foi decretada por “tempo indeterminado”.

Evidentemente, que não se pode admitir tal situação e o Governo precisa o quanto antes resolver o problema. Como se espera que os sindicalistas tenham a disposição e o bom senso para dialogar, sem abrir mão das reivindicações que são justas e já deveriam ter sido atendidas.

Assuntos desta notícia