Reforma da Previdência não é consenso entre os deputados federais do Acre – Jornal A Gazeta

Reforma da Previdência não é consenso entre os deputados federais do Acre

Um levantamento do jornal Valor Econômico chamado de Termômetro da Previdência aponta sobre o que pensam os deputados federais a respeito da Reforma da Previdência em tramitação na Câmara dos Deputados.

Os deputados federais, Perpétua Almeida (PCdoB/AC) e Jesus Sérgio (PDT/AC), são contrários à proposta. Jesus Sérgio disse que, mesmo sendo contrário, “ainda se faz necessário uma ampla discussão para resolver antigos gargalos antes de se colocar em votação”.

Já os deputados Alan Rick (DEM/AC) e Mara Rocha (PSDB/AC) são parcialmente favoráveis. Entretanto, há pontos no projeto que devem ponderações. Uma delas é a aposentaria de 60 anos para homens e mulheres do campo. Mara Rocha questiona a idade estabelecida por entender que há um desgaste maior dos trabalhadores rurais com relação aos da zona urbana.

“Eu vejo como uma crueldade com o produtor rural, francamente não vi com bons olhos porque é uma profissão desgastante, é uma profissão que exige muita dedicação, e é uma dedicação que você não tem hora”, pontua Mara Rocha.

Alan Rick (PRB/AC) salientou o País precisa da Reforma, mas que atenda os interesses da população, sobretudo, os mais carentes. “Podem ter certeza o Brasil precisa da reforma, mas uma reforma que abrace as pessoas e garanta o futuro das próximas gerações e que traga o País de volta aos trilhos, obviamente respeitando as especificidades de algumas categorias, em especial o produtor rural”, destaca o parlamentar.

Os deputados Manuel Marcos (PRB/AC), Dra. Vanda Milani (SD/AC) e Jéssica Sales (MDB/AC) seguem indefinidos quando o assunto é Reforma da Previdência.

O único favorável à proposta é o deputado Flaviano Melo (MDB/AC) de acordo com o Valor. Ele destacou por meio de sua assessoria que é necessário a ampliação do debate em torno do assunto. “É necessário ampliar esse debate, pois há vários aspectos a serem analisados pelos parlamentares, muita a se discutir e a ser mudada”, frisa a assessoria do parlamentar.

 

 

Assuntos desta notícia