Jornal A Gazeta

Revolta, mas não surpreende

Aqui no Acre foi a morte por decapitação de uma jovem com todos os requintes de crueldade; em Fortaleza, no Ceará, a chacina de 14 pessoas por rajadas de tiros enquanto se divertiam num baile e no Rio de Janeiro é a guerra entre a policia e quadrilhas nos morros. Todas essas ocorrências provocada pelas famigeradasfacções.
Evidentemente, que tamanha selvageria chama a atenção e provoca medo e indignação na sociedade. Porém, tudo isso e muito mais estava previsto e foi denunciado pelo governador Tião Viana, quando reuniu vários governadores, e declarou que o Brasil “é uma Colômbia dos anos 80” de Pablo Escobar com o narcotráfico e alertou que o Governo Federal deveria cumprir com sua obrigação constitucional de guarnecer as fronteiras com os países vizinhos tidos como maiores produtores e exportadores de drogas e contrabando de armas.
E o que se viu até agora? Nada, nenhuma medida efetiva. O presidente da República continua operando seu “balcão de negócios” junto ao Congresso para obter os votos necessários para aprovar suas reformas perversas e as autoridades maiores do Judiciário, completamente, omissas com os olhos tapados com suas togas. Ou alguém já ouviu uma declaração sequer de algum ministro do Supremo Tribunal Federal sobre essa barbárie que se instalou no país?
Aliás, parte do Judiciário, do Ministério Público Federal e da Polícia Federal estão inteiramente dedicados a outra empreitada ou “caçada”: condenar, mesmo sem provas, e impedir que o ex-presidente Lula volte ao poder, sob a torcida e aplausos de uma elite egoísta e ignorante.