Sobre não desistir – Jornal A Gazeta

Sobre não desistir

“A idade nos traz maturidade suficiente pra entender que o processo (seja qual for) é lento, mas desistir não acelera”

Dizem que o segredo está em não desistir, mesmo quando nada parece dar certo. Ao menor sinal de fraqueza, a ideia é não desistir. Persistir e insistir. Seja lá qual for sua meta ou objetivo, meu conselho é: não desista.
Parece clichê ou até frase pronta de livro de autoajuda, aliás, gosto muito desse tipo de leitura. Me julguem! Mas, voltando ao assunto, não desistir é uma luta diária, por mais que pareça que só se encaixa em “grandes sonhos”, não é?
A luta diária de treinar, praticar um esporte ou fazer uma caminhada. É difícil acordar cedo, eu sei. É difícil ter disposição depois de um dia inteiro de trabalho, eu sei. Mas, se não for você a fazer algo pelo seu bem-estar, quem o fará? Não desista. Calça o tênis, veste uma roupa leve e vai. Vai sem pensar, só vai.
Desistir parece mais fácil, e é. É mais cômodo. É muito mais confortável ficar em casa do que suar uns 40 minutos, né? Verdade. Mas eu, por exemplo, não gosto do que é fácil. Eu gosto do difícil, do desafio.
E se tem uma coisa que eu sou todos os dias é desafiada. Eu diria que se trata de um auto desafio. Não é fácil vencer a preguiça e ir treinar, principalmente pela manhã. Mas, eu nunca desisto.
A idade nos traz maturidade suficiente pra entender que o processo (seja qual for) é lento, mas desistir não acelera. E essa minha “filosofia de vida” não se aplica só a treinar, mas em tudo que eu planejo/sonho fazer um dia ou todos os dias.
Contudo, nem sempre foi assim. Eu já desisti de festas, jogos, cursos, planos, investimentos, viagens, amizades, amores e até de mim. Desisti de ir ao cinema com o ingresso comprado, desisti de sair com amigas depois de arrumada, desisti de ir pra aula quando cheguei em frente à universidade.
E até então, eu estava bem com tudo isso. Foi quando eu percebi a quantidade de oportunidades que a vida estava me dando e eu simplesmente desistia. O pior é que eu nem sabia o porquê das minhas desistências.
O meu acerto foi não desistir de entender o motivo de tudo isso, e eu entendi. Entendi que os fins e começos, oportunidades e dificuldades sempre vão existir, mas a escolha de não desistir me levará rumo aos meus sonhos.

 

Bruna Mello é jornalista.
E-mail: bmello.90@gmail.com

Assuntos desta notícia