Trio acusado de matar açougueiro é condenado a mais de 70 anos de prisão – Jornal A Gazeta

Trio acusado de matar açougueiro é condenado a mais de 70 anos de prisão

Três homens foram condenados a mais de 70 anos de prisão em regime inicialmente fechado pela morte do açougueiro José Gilson da Silva, de 26 anos, em julho do ano passado. Silva foi achado morto no Ramal Boca do Iaco, no município de Sena Madureira, interior do Acre.

A informação foi confirmada nesta quarta-feira, 7, pelo Tribunal de Justiça do Acre (TJ-AC). O julgamento ocorreu no último dia 21 de fevereiro, mas foi divulgado pelo TJ nesta quarta-feira, 7.

Antônio Leandro Almeida de Moraes, Makson de Souza Magalhães e Raí Barreto de Souza foram condenados pelo crime de latrocínio e corrupção de menores.

Conforme a Justiça, Moraes foi condenado a mais de 30 anos de prisão. Ele foi considerado o chefe e mentor do crime. Já Magalhães e Souza foram condenados a mais de 20 anos cada.

O gerente do supermercado que Silva trabalhava, Anderson Belarmino, contou que o corpo foi encontrado pelo irmão da vítima.

O açougueiro havia saído do trabalho no dia 24 de julho de 2017 para ir deixar comida para o pai, que mora a cerca de 40 minutos da cidade, e não retornou. Preocupados, os amigos começaram a procurar pelo rapaz.

O irmão da vítima, Raimundo Nonato, de 25 anos, disse que ficou sabendo do resultado do julgamento pela imprensa. Segundo ele, a família não conhece os homens acusados do crime e não sabem o que teria motivado a morte do irmão.

“Nossa família não ficou bem, mas um pouco satisfeita com o resultado. Porque nada vai trazer meu irmão de volta mesmo”, disse o irmão.

Assuntos desta notícia