Tudo muito surreal, triste e catastrófico – Jornal A Gazeta

Tudo muito surreal, triste e catastrófico

Divididos e seus principais ideólogos e líderes trocando adjetivos nada lisonjeiros, mesmo assim os apoiadores do presidente da República deverão sair às ruas amanhã para contrapor à manifestação de mais de 1 milhão de estudantes e outros segmentos da sociedade civil, que também saíram às ruas para chamar a  atenção dos brasileiros sobre a medida insana e perversa do Governo em cortar gasto na Educação.

Temendo, talvez, o fracasso do movimento, o presidente desistiu de comparecer ao ato, assim como outros seus apoiadores e admiradores, como o líder do Movimento Brasil Livre(MBL), Kim Kataguiri, agora numa briga de rua, com o filósofo do bolsonarismo, Olavo de Carvalho, que o apelidou de “Kim Katapiroca”.

Mesmo assim, a manifestação deve ocorrer com o apoio de alguns empresários, como os proprietários das lojas Riachuelo, Havan e (pasmem!) de uma tal Confederação Monárquica, que prega a volta da monarquia ao país. E o presidente quem seria? Ele! Jair Bolsonaro(!), que o prefeito de Nova Iorque se recursou a recebê-lo, chamando-o de homofóbico.

Brincadeira, galhofa? Sim! Mas o que esse pessoal deverá blaterar amanhã nas ruas é contra os poderes constituídos da República, pregando o fechamento do Congresso Nacional e do próprio Supremo Tribunal Federal (STF), com o slogan “Lava Toga”.

Tudo muito surreal, muito triste e catastrófico para o país, mas é nisso que deu a omissão e conivência desses poderes com os sucessivos golpes e a “imbecilização” da classe média pregada pelas elites e a chamada “grande mídia”.

 

Assuntos desta notícia