Uber lança U-Elas: opção que fará motoristas mulheres realizarem viagens apenas com usuárias mulheres – Jornal A Gazeta

Uber lança U-Elas: opção que fará motoristas mulheres realizarem viagens apenas com usuárias mulheres

A ferramenta U-Elas foi mais um dos destaques lançados no “Uber Destino 2019”, evento realizado na última quarta-feira, dia 6, em São Paulo-SP, com foco em segurança. Trata-se de uma inovação que permitirá as motoristas do aplicativo optar por fazer viagens somente com usuárias também mulheres. Serão viagens delas para elas, e não haverá limites para o uso, ou seja, a U-Elas vai poder ser ativada no app por quanto tempo elas quiserem.

Vale destacar que dos motoristas que dirigem para a Uber, cerca de 6% são mulheres. A U-Elas visa ampliar esse percentual.

A presidente da Uber Brasil, Carol Woods, resumiu a novidade como sendo um importante avanço que a empresa faz dentro do desafio assumido no combate à violência contra mulheres. A U-Elas será pioneira entre medidas tecnológicas no ramo de transporte de pessoas feitas por aplicativos voltadas exclusivamente para fazer mulheres se sentirem mais seguras.

“Não falo aqui hoje só como presidente. Eu falo como mulher, sobre os desafios de ser mulher”, frisou Woods.

A presidente explica que firmar esse compromisso público foi um primeiro passo para a Uber. O segundo foi definir um investimento inicial de 5 milhões de dólares para criar, dentro da plataforma da Uber, que já é acessível, dinâmica e, sobretudo, segura, mecanismos para olhar atentamente para a situação das mulheres. A partir daí, encontrar soluções pra fazê-las se sentir mais seguras ainda. Assumido o compromisso e estipulado o quantum do investimento, o passo seguinte foi definir como fazer, como usar estes recursos de forma eficiente. Neste momento, Carol Woods conta que foi preciso ouvir, ouvir muito para compreender melhor as demandas femininas.

A Uber, então, passou a unir forças com entidades parceiras (Promundo, Força Meninas, Instituto Patrícia Galvão, AzMinas, Associação Mulheres Pela Paz, Plan, Fórum Brasileiro de Segurança Pública, etc) e passou a executar os projetos Café com as Minas, lançando uma série de vídeos elucidativos  sobre temas do feminismo para o YouTube, e o selo Promundo, oferecendo treinamento para motoristas entenderam as questões específicas do gênero feminino durante os atendimentos. A Uber também investiu em fortalecer sua rede de suporte e amparo às mulheres, criou o programa “Elas na direção” e fez o pacote especial para que suas motoristas parceiras tivessem linha especial e facilidades para adquirir os veículos para dirigirem pelo aplicativo.

Por fim, a presidente da Uber Brasil anunciou que serão investidos mais U$ 5 milhões para os próximos 3 anos, a fim de sair do curto prazo e fazer esses recursos investidos em melhorias para elas na Uber se tornar a médio e longo prazo. “Vamos renovar parcerias, fazer novas e reforçar esse nosso compromisso de empoderar nosso público de mulheres. Isso nos orgulho muito”, conclui Carol Woods.

Outras ferramentas anunciadas

Além dos lançamentos já divulgados por A GAZETA na edição de ontem, outras inovações anunciadas durante a Uber Desafios 2019 foram:

“Anonimação” – Todas as viagens da Uber são registradas por GPS. Mas a Uber está trabalhando para resguardar no sistema até o endereço completo. Por exemplo, o motorista só vai ter acesso ao destino do usuário quando faz a viagem. Depois, o endereço completo e telefone não ficarão mais disponíveis, seu registro vai constar apenas a região em que o passageiro foi deixado. Lembrando que a empresa nunca repassa dados de usuários para motoristas, nem vice-versa. Dados de seus motoristas e usuários só são repassados com decisão judicial, de autoridade judiciária competente.

Reportar problemas durante a viagem – O usuário, por enquanto, só pode reportar ocorrências após as viagens. Mas, a Uber já está testando abrir esse registro durante as viagens. Isso vai conferir maior celeridade na resposta a esse problema reportado e dará maior segurança. É uma forma de resolver a questão enquanto ela acontece, e não só depois dos fatos.

U-Check – Na prevenção, a Uber firmou parceria com o Serasa Experian para validar as informações de identificação dos usuários do aplicativo. É a primeira ferramenta de checagem e integração de dados desenvolvida pelo time de engenheiros do Tech Center de São Paulo, com foco em propiciar segurança e dar maior estabilidade econômica.

Parceria com autoridades policiais – Dentro dos limites da privacidade de dados, a Uber reforça que colabora com as autoridades. A Uber tem sua equipe que trabalha neste eixo de cooperação. Para a diretora de relações com autoridades policiais da América Latina da empresa, Lourdes McLoughlin, a segurança colaborativa é uma forma de a Uber contribuir para investigações criminais e elucidação de casos, mas sempre com respeito à legislação de privacidade de dados de cada país. Ela apresentou o balanço de que sua equipe já treinou 2.200 policiais, agentes e fiscais em toda a América Latina para serem replicadores dessa colaboração, e já rendeu frutos, como nos casos de um ataque terrorista na Ponte de Westminder, e o sequestro de um bebê em Chihuahua, no México. Loughlin espera que a Uber participe de mais casos de sucesso colaborativo.

A Uber também faz parcerias com ONGs contra o tráfico de pessoas.

 

Parceria com a Denatran – A Uber possui contrato com o Serpro, empresa de TI do Governo Federal para confirmar informações cadastrais dos motoristas e entregadores parceiros e de seus veículos, em tempo real, a partir dos dados da CNH. Essa é mais uma garantia preventiva de segurança ao usar o app.

Assuntos desta notícia