Vai passar – Jornal A Gazeta

Vai passar

Olá, tudo bem?

Como tem vivido ou enfrentado os problemas atuais?

Hoje iremos conversar um pouquinho sobre um vírus que tem abalado e amedrontado tanto as pessoas.

Antes de qualquer coisa, eu quero te dizer que você e eu, somos capazes de lutar, de enfrentar qualquer problema ou tempestade tomando as medidas necessárias, inclusive em nossa mente.

Atualmente estamos diante do novo coronavírus (COVID-19). Que vírus é esse?

Pesquisando, encontrei uma explicação simples: este é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. Diante disso, de forma serena e sem desespero precisamos prevenir o contágio, de quê forma? Lavando as mãos com água e sabão ou use álcool em gel; Cobrindo o nariz e boca ao espirrar; Evitando aglomerações se estiver doente; mantenha os ambientes bem ventilados e não compartilhe objetos pessoais.

Diante disso, com responsabilidade precisamos evitar divulgar matérias sensacionalistas que amedrontam e deixam as pessoas ansiosas, pois o medo provoca o pânico e pode levar a uma histeria coletiva. Mas, o que significa Histeria Coletiva?

Segundo pesquisas: Histeria colectiva, também conhecida por histeria em massa, é o fenómeno sociopsicológico definido pela manifestação dos mesmos ou semelhantes sintomas histéricos por mais de uma pessoa. Uma manifestação comum de histeria colectiva ocorre quando um grupo de pessoas acredita que sofre de uma doença ou padecimento semelhante. A histeria colectiva começa tipicamente quando alguém adoece ou torna-se histérico durante um período de stress. Após a demonstração dos sintomas pelo indivíduo inicial, outras pessoas começam a manifestar sintomas semelhantes, geralmente náuseas, fraqueza muscular, convulsões ou dores de cabeça.

E a pesquisa continua mostrando que a histeria coletiva pode atacar em qualquer lugar e a qualquer hora, ou seja, se você ficar estressado por causa do COVID-19, a mente poderá adoecer o corpo.

“Surtos de doenças misteriosas são mais comuns do que pensamos , muitas vezes um culpado é descoberto, como no caso atual, mas o estresse psicológico e a ansiedade às vezes são as piores causas”, comenta o Dr. Marcel Vella Nunes, psiquiatra do Hospital Santa Mônica.

Diante disso, quais os elementos que podem provocar a histeria? De acordo com pesquisas realizadas são: Grupos sob estresse psicológico e físico, geralmente com fome, cansado ou ambos , estes se reúnem quase diariamente em todo o mundo. Então, qual é o gatilho final que empurra algumas pessoas ao limite e deixa suas mentes tomarem conta de seus corpos em massa?

Quando enfrentamos incertezas, nossas mentes desejam explicações. Se não temos como explicar os sintomas, nos sentimos descontrolados e nosso medo aumenta. E, se aprendermos que nossas próprias mentes podem ter causado esses sintomas muito reais, tendemos a sentir mais ansiedade sobre o que nossas mentes podem fazer a seguir.

Os especialistas em psicossomática apresentaram explicações fisiológicas adicionais para alguns dos sintomas de surtos de histeria em massa, observe: Quando as pessoas ficam excitadas e assustadas, elas podem hiperventilar ou começar a respirar muito rapidamente; exalando muito dióxido de carbono. Os baixos níveis de dióxido de carbono no corpo causam espasmos nos músculos das extremidades, o que pode explicar a dormência, formigamento e contração muscular que algumas vítimas experimentam. Se a depleção de dióxido de carbono for tratada simplesmente respirando em um saco de papel, os sintomas desaparecem rapidamente.

Em um estado elevado de ansiedade, as vítimas geralmente percebem e interpretam mal as sensações físicas normais. Um estômago borbulhante pode ser confundido com um sinal de intoxicação alimentar. E se outras pessoas ao seu redor agarram seus estômagos e caem no chão, seu nível de medo pode aumentar, seus joelhos podem ceder e você também pode cair no chão. A força e o poder da dinâmica de grupo tendem a assumir o controle, e as pessoas são absorvidas pelos sintomas da multidão.

A hierarquia social do grupo também pode ocorrer na disseminação dos sintomas.

Portanto, cabe a nós mantermos o controle e não disseminar o medo, o terror e o pânico, isso sim, é um ato de irresponsabilidade. Com serenidade, autocontrole e fé, podemos enfrentar mais um vírus, tomando as medidas, as precauções necessárias, fazendo um trabalho preventivo. Repito: Lavando as mãos com água e sabão ou use álcool em gel; Cobrindo o nariz e boca ao espirrar; Evitando aglomerações se estiver doente; mantenha os ambientes bem ventilados e não compartilhe objetos pessoais.

Somos capazes sim de enfrentar esta tempestade com serenidade, pois fizemos isso quando em 2018 O H1N1 ficou famoso há uma década, quando uma epidemia desse subtipo do vírus da gripe provocou 2 mil mortes no Brasil. Em 2018, ele foi responsável por 65% dos óbitos decorrentes dessa doença.

Enfrentamos corajosamente e sem entrarmos em pânico ou histeria a doença pelo vírus Zika que apresenta risco superior a outras arboviroses, como dengue, febre amarela e chikungunya, para o desenvolvimento de complicações neurológicas, como encefalites, Síndrome de Guillain Barré e outras doenças neurológicas. Uma das principais complicações é a microcefalia. O Brasil notificou os primeiros casos de Zika vírus em 2015, no Rio Grande do Norte e na Bahia. Atualmente, sua presença já está documentada em cerca de 70 países.

Então, meu amigo e minha amiga, nós iremos vencer mais esse mal, acredite!  Façamos tudo o que está ao nosso alcance para evitar o contágio, sejamos mais prudentes, e aproveite esses dias para ressignificar a vida, perceber o quê, e quem são realmente importantes pra você, e o que você precisa para viver em paz e ter uma vida plena e mais feliz. Observe melhor como as suas atitudes e o seu comportamento tem afetado as pessoas quer positivamente ou negativamente, e como pode se tornar melhor para si mesmo e certamente para aqueles que estão perto de você e fazem parte de sua vida. Esta é inclusive uma oportunidade de pensar em novas escolhas. Lembre-se de algo importante, quanto maior for a ansiedade mais prejudicada fica a nossa saúde, afinal, a imunidade baixa, consequentemente mais vulneráveis ficamos as doenças, então, controle a mente, os seus pensamentos e evite ficar o tempo todo atrás de informações. Fuja dos sites sensacionalistas e busque no mínimo duas vezes informações sérias onde os conteúdos são realmente verdadeiros e te deixarão bem informados. Lembre-se, é mais um momento ruim, vai passar! Aguente firme e mantenha a fé.

Um grande abraço!

Fique com Deus.

 

(*) Claudia Correia de Melo Torres é psicoterapeuta de adolescentes, individual e de casal. Escritora. Palestrante. Faz atendimento online e presencial para você e sua família. Youtube.com/c/ClaudiaCorreia Skype: claudiacorreiamt (82) 99641-5787.

Assuntos desta notícia