Você sabe o que é a síndrome espiritual da macrocefalia e microcardia? – Jornal A Gazeta

Você sabe o que é a síndrome espiritual da macrocefalia e microcardia?

Querido(a) leitor(a) do Jornal A GAZETA, Paz e Bem! Você sabia que a Macrocefalia e microcardia espiritual é a doença do século XXI? Pois bem, as pessoas têm crescido em conhecimento, porém, pouco em sabedoria. Elas possuem uma mente grande para armazenar conhecimento e informações; porém, um coração pequeno e insensível às necessidades dos outros. Descreve o Evangelista São Lucas que “Jesus ia crescendo em sabedoria, tamanho e graça diante de Deus e dos homens” (Lc 2,52). Sendo Jesus o modelo por excelência para todos os homens, podemos n’Ele nos inspirar e segui-Lo.

O Evangelista São Lucas é categórico ao afirmar que Jesus crescia em sabedoria, tamanho e graça diante de Deus. A sequência das palavras são significativas. O crescimento em sabedoria antecede os demais, vem primeiro. Isso para expressar que o homem deve ser cheio de sabedoria antes de qualquer coisa. Crescer em estatura, mas não em sabedoria, consiste em um desajuste, em uma deformação.

Jesus é o modelo do crescimento completo e integral de todos os homens. Na sequência das palavras, o último crescimento é em graça diante de Deus. Ou seja, quem cresce em sabedoria e em estatura cresce de forma harmônica, e, consequentemente, será cheio da graça de Deus.

Em nenhum outro tempo, o mundo teve acesso a tantas informações e conteúdos diversos, como assuntos de religião, política ou economia; livros impressos ou digitais. São inúmeras as facilidades para obtermos conhecimento. Dessa forma, o ser humano tem se tornado conhecedor de quase tudo. Por meio da técnica, ele tem buscado explorar a natureza e tornar a vida humana menos pesada. Por outro lado, também é verdade que as pessoas têm perdido a sensibilidade com o próximo e pensado somente em si. Isso significa que elas têm crescido em conhecimento mediante as informações recebidas, mas não têm crescido em sabedoria, fruto do Espírito Santo. A sabedoria está ligada às necessidades do coração: amor ao próximo, solidariedade, perdão… Todos esses são atributos do coração.

Há algum tempo observo um grande sofrimento da maioria das pessoas, que, acostumadas à correria, negligenciam: a falta de tempo.

Não é apenas uma falta de tempo para a família, mas, sobretudo, uma falta de tempo para si próprio. Muitos se preocupam, demasiadamente, com sucesso profissional: estudos, trabalhos, reuniões, compromissos, mas poucos percebem que escassez de tempo também é uma fonte de fracasso.

Todavia, essa “falta de tempo” não seria, em verdade, uma falta de prioridades? Grande parte das pessoas enfrentam diversas adversidades familiares, bem como, em seu ambiente de trabalho. Afinal não sabem determinar quais são as atividades importantes que precisam realizar.

Tudo depende da importância que damos a Deus. Alguns O tem como a última alternativa, já outros, os mais sábios, O tem como primeira e última…

O grau de importância que damos a algo indica o quanto nos é importante, pois só nos demoramos e investimos naquilo que amamos. Por isso é bom que saibamos quais são as nossas prioridades e, se nem nos damos conta disso, passemos a enxergá-las, já que os frutos que plantamos e que mais regamos são os que colhemos.

Assim também é com a fé e com a nossa crença em Deus e em Sua Providência para a nossa vida…

Por isso, as nossas conquistas são certeiras, se plantarmos nossa confiança em Deus e se O fizermos a nossa prioridade! Quando priorizamos a Deus e quando escolhemos praticar suas leis todos os dias, demonstramos a importância que Ele tem para nós, pois só acatamos os mandamentos daqueles que amamos… E, para honrar a nossa fé, como um Pai Bondoso, Deus derrama em nós as suas bênçãos, não porque merecemos, mas porque Ele é Misericordioso e quer plantar muitos sorrisos em nossos rostos e constantes felicidades em nossos caminhos.

No entanto, nossa sociedade tem adoecido e se deformado pela síndrome da macrocefalia e da microcardia, isto é, cabeça grande e coração pequeno. E com isso, meus irmãos e irmãs, é preciso, sim, crescermos em conhecimento, porém, não podemos nos esquecer de que é preciso também crescer em sabedoria e graça diante de Deus. Não sejamos pessoas deformadas. Se crescer a cabeça em conhecimentos e estudos, não nos esqueçamos de aumentar, da mesma forma, o coração, com os frutos do Espírito Santo: bondade, amor, caridade, alegria, paz, paciência, benignidade, bondade, longanimidade, mansidão, fé, modéstia, continência e castidade. Paz e Bem.

Adaptado conforme: www.cancaonova.com 

 

Frei Paulo Roberto, Ordem dos Frades Menores Capuchinhos – OFM Cap. Pároco da Paróquia de Bom Jesus do Abunã em Plácido de Castro – AC. Assistente Espiritual do Núcleo em Formação da Fraternidade da Ordem Franciscana Secular – OFS. Encontro todo 3º domingo do mês na Paróquia Santa Inês, às 7h.

Assuntos desta notícia