Dia de São Sebastião será comemorado em várias cidades acreanas – Jornal A Gazeta

Dia de São Sebastião será comemorado em várias cidades acreanas

BRUNA LOPES

São Sebastião é padroeiro de três municípios do Acre e, mesmo antes do dia oficial, em Xapuri a programação de homenagem ao santo já começou. A 116ª edição da tradicional procissão de São Sebastião na terra de Chico Mendes ocorre no próximo dia 20. A caminhada encerra a maior festa religiosa e uma das maiores do Acre.
A festa de São Sebastião em Xapuri foi iniciada no dia 6 de agosto de 1902, quando um grupo de cem pessoas saiu em procissão pelas ruas de Xapuri, que ainda era um vilarejo, dando início a uma das mais importantes manifestações religiosas e culturais do Acre.
A programação teve início na última quinta-feira, 11, com a tradicional carreata pelas ruas de Xapuri. A ação marca o início da novena para o santo. Na sexta, 12 e sábado, 13, o Programa Saúde Itinerante ofereceu serviço médico a quem precisa. Os atendimento socorreram no Colégio Divina Providência.
De 15 a 20 de janeiro, ocorrem os jogos esportivos São Sebastião. Com várias modalidades participantes, a programação esportiva será encerrada com a Corrida Pedestre que ocorre às 7h no dia 20.
Nos dias 16 a 20, em frente a prefeitura a Tenda Cultural realiza recreação infantil, dança, música, Hip Hop ecinema. Paralela às ações, Igreja realiza quermesse, brechó, restaurante no salão paroquial e a tradicional procissão.
As homenagens também ocorrem em Rio Branco e Epitaciolândia com missas campais e procissões.

Quem era São Sebastião?
São Sebastião nasceu em Milão, na Itália, de acordo com Santo Ambrósio, por volta do século III, embora haja versões de que tenha nascido em Narbonne, na França. Pertencente a uma família cristã, foi batizado em criança. Mais tarde, tomou a decisão de engajar-se nas fileiras romanas e chegou a ser considerado um dos oficiais prediletos do Imperador Diocleciano.
Contudo, nunca deixou de ser um cristão convicto e ativo. Fazia de tudo para ajudar os irmãos na fé, procurando revelar o Deus verdadeiro aos soldados e aos prisioneiros. Secretamente, Sebastião conseguiu converter muitos pagãos ao cristianismo. Até mesmo o governador de Roma, Cromácio, e seu filho, Tibúrcio, foram convertidos por ele.
Em certa ocasião, Sebastião foi denunciado, pois estava contrariando o seu dever de oficial da lei. Teve, então, que comparecer ante o imperador para dar satisfações sobre o seu procedimento.
Diante do Imperador, Sebastião não negou a sua fé e foi condenado à morte, sem direito à apelação. Amarrado a um tronco, foi varado por flechas, na presença da guarda pretoriana. No entanto, uma viúva chamada Irene retirou as flechas do peito de Sebastião e o tratou.
Assim que se recuperou, demonstrando muita coragem, se apresentou novamente diante do Imperador, censurando-o pelas injustiças cometidas contra os cristãos, acusando-o de inimigo do Estado. Perplexo com tamanha ousadia, Diocleciano ordenou que os guardas o açoitassem até a morte. O fato ocorreu no dia 20 de janeiro de 288.
Além disso, o dia da batalha coincidiu com o dia do santo, celebrado em 20 de janeiro. São Sebastião é o protetor da humanidade contra a fome, a peste e a guerra.

Assuntos desta notícia