Negligência

Postado em 04/03/2017 17:39:37 Leo de Brito

Não foi por falta de aviso, mas preferiram negligenciar. Como era esperado, a BR-364 para Cruzeiro do Sul fechou.

Andei muito na rodovia desde 2011, quando o governador Tião Viana anunciou que a “espinha dorsal” do Acre nunca mais fecharia.

E Tião Viana trabalhou muito para honrar a palavras. Várias foram às idas na BR. Diversas foram as viagens e brigas por recursos a Brasília.

Em 2014, a BR passou a ser cuidada pelo DNIT. Infelizmente, optaram por desconsiderar a importância do limite de pesos para atender aos interesses de comerciantes inescrupulosos. E deu no que deu.

Mas, mesmo a rodovia estando sob a responsabilidade de um órgão federal, Tião Viana não ficou despreocupado. Em 2015, conseguiu R$ 80 milhões para obras emergenciais.

Ano passado, antes de ser covardemente golpeada, a presidenta Dilma Rousseff assegurou outros R$ 230 milhões.

Dilma foi arrancada covardemente do poder. Aqueles que apoiaram o golpe foram a Cruzeiro do Sul, dentre ele o senador Gladson Cameli, prometer muito trabalho e uma rodovia perfeita. Não foi o que se viu.

O mundo real é que nada do que foi assegurado por Dilma, a pedido do governador Tião Viana, veio. O que chegou, até onde eu sei, foram R$ 10 milhões, recurso insuficiente para tapar “um buraco de dente”. Esse dinheiro, aliás, é fruto de emenda de bancada para o anel viário de Brasileia, do qual Tião Viana abriu mão.
O prejuízo está com a população.

Para finalizar, lembro que o então superintendente do DNIT para o Acre e Rondônia, Sérgio Mamany, declarou que a rodovia foi construída de acordo com as regras da engenharia e contou com a supervisão do órgão.

Seguindo o raciocínio de Mamany, e para não fazer juízo de valor, sempre acreditando na seriedade e competência das nossas empresas, destaco que a ruptura ocorreu na ponte sobre o Igarapé da Cigana.

A obra foi executada, originalmente, pela Etam, lá pelos idos da década de 1997. A segunda intervenção aconteceu pelas bandas de 2009, pela Colorado.

Leo de Brito, Deputado Federal (PT/AC)

editorial

Não há como ignorar

 

Não como ignorar ou negar – e o próprio secretário de Segurança Pública admite- que nos últimos dias houve nova investida das famigeradas facções criminosas com vários homicídios tanto na Capital como em algumas cidades do interior, onde até um aluno teria sido morto dentro da sala de aula. Porém, não ...

Leia mais...

clima

Rio Branco - AC
agazetanofacebook