“Um depósito…”

De chocar, de doer, mas também de indignar a situação mostrada ontem nos meios de comunicação em que estão vivendo os idosos abrigados no Lar dos Vicentinos.

Com propriedade, o promotor público Rogério Voltolini Muñoz definiu o que viu no asilo: “um depósito de lixo humano”, ao constatar, entre outras barbaridades, duas idosas encarceradas, passando fome e todo tipo de privações.

Evidentemente, que os primeiros responsáveis por esta situação degradante são os que administram a entidade. Sobre este aspecto o Ministério Público precisa ser rigoroso na aplicação da legislação.

O que se vê constantemente são campanhas para levantar recursos e insumos para essas entidades. O que se pergunta e deve ser apurado é que destinação vem sendo dada a esses recursos. Mesmo que não dispusessem dos meios necessários para manter o asilo, deveriam alertar as autoridades, a sociedade e não permitir que chegasse a essa situação cruel, desumana.

Por outro lado, não se pode também eximir os poderes públicos, nas diversas instâncias. O que mais se tem hoje são órgãos e ongs voltados para a assistência social, com vultosos recursos e funcionários. O que fazem que não vêem situações como esta do Lar dos Vicentinos?

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation