Inep repassa R$ 1,26 milhão a Ministério da Defesa para segurança do Enem

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) liberou R$ 1,26 milhão ao Ministério da Defesa por conta da aplicação da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), prevista para os dias 5 e 6 de dezembro. Os recursos vão custear o armazenamento dos testes em dois locais e a escolta dos comboios dos Correios. A decisão foi publicada nesta quarta-feira (18) no Diário Oficial da União.

Esse valor se soma aos R$ 99,9 milhões do contrato com o Cespe e a Cesgranrio –responsáveis pela aplicação e correção das provas- e aos R$ 31,9 milhões repassados à gráfica RR Donnelly Moore. A operação vai envolver, além dos Correios, a Polícia Federal, a Marinha e a Aeronáutica, o que deve aumentar ainda mais esse valor –já em R$ 133 milhões.

O primeiro contrato, firmado com o consórcio Consultec, custava pouco mais de R$ 110 milhões. O Ministério da Educação (MEC) aguarda o resultado de uma sindicância para avaliar se entra com um pedido de ressarcimento na Justiça.

Segundo o MEC, o total gasto na prova não vai superar R$ 148 milhões, que é a verba destacada pelo órgão para o Enem. O valor se baseia no cálculo de R$ 35 por aluno. Mais de 4 milhões de estudantes devem fazer o exame.

O dinheiro repassado à Defesa se destina ao 4º Batalhão de Infantaria Leve e ao 2º Batalhão de Polícia do Exército, sediados em Osasco (SP). Após a impressão, as provas serão levadas aos dois locais e, deles, a 64 pontos de distribuição em todo o país. O R$ 1,26 milhão cobre a segurança dos testes nestes locais e o transporte para o resto do país. (G1)

 

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation