Policiais Militares caminham mais de cinco horas a pé na mata para prender homem acusado de homicídio

policiais1
Policiais militares do 3° Batalhão, comandados pelo Coronel Palladino em diligência ao cumprimento de Mandado de prisão contra o braçal Antonio Leonardo de oliveira, 19 anos, o “Nati”, acusado de matar a tiro de espingarda o caseiro Raimundo Bezerra da Silva, tiveram que caminhar mais de cinco horas por dentro da mata, até chegar ao Seringal São Francisco do Iracema, Colocação Montevidéu, localizada dentro da Resex Chico Mendes, no km 90 da estrada Transacreana.

A operação para a prisão do homicida teve início às 7h de sábado e terminou com a chegada dos policiais e do acusado à sede do Grupo Capturas da Polícia Civil, GECAPC, volta das 3h30 da madrugada de domingo.

Segundo o Coronel Palladino, apesar da exaustão do percurso percorrido a pé, dentro da mata, enfrentando lama e todo o tipo de adversidades os militares obtiveram êxito em localizar e prender uma pessoa que cometeu um crime de morte.

O crime aconteceu no dia 29 de setembro deste ano, por volta das 9h desta terça-feira, 29, em uma Chácara no Ramal Dois irmãos, acesso pelo Ramal Barro Alto, altura do km 15 da estrada Transacreana.
Segundo informações, Leonardo residia na localidade há cerca de três meses. A vítima foi à Chácara onde trabalhava Leonardo e teve inicio uma discussão, quando Raimundo teria chamado Leonardo de vagabundo. Revoltado o acusado foi na casa armou-se  com uma espingarda e efetuou um tiro no rosto da vítima que teve morte instantânea.

Após o crime “Nati” fugiu e passou a trabalhar em uma fazenda na Transacreana, ao ficar sabendo que estava sendo procurado pela polícia, ele rumou para o Seringal, onde foi preso por policiais militares.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation