Petecão consegue empenhar 99% das emendas

Em plena articulação política  em Brasília este final de ano a  fim de conseguir maior liberação de emendas, o deputado Sérgio Petecão (PMN), juntamente com a bancada de seu partido, vem mantendo contato direto com ministérios e demais órgãos federais encarregados de viabilizar recursos para os municípios acreanos. Dentre os mais procurados estão os ministérios da Integração Na-cional (com ênfase para o Programa Faixa de Fronteira), Agricultura, Turismo e Esportes, além da Funasa. O objetivo, segundo o deputado, é utilizar dos meios políticos disponíveis para garantir os recursos às prefeituras, responsáveis diretas pela execução de obras essenciais, sobretudo no setor de infra-estrutura. “São obras que beneficiam diretamente à população, sobretudo a mais carente. Por isto nossa presença aqui em Brasília esta época é fundamental”, disse o deputado.

A estratégia e o esforço conjunto vêm dando resultados práticos. Mantendo uma política de beneficiar todos os municípios independentes de filiação partidária, o deputado conseguiu empenhar 35 das 4622 emendas elaboradas para o Orçamento de 2009, num total de R$ 9.550.000,00 (nove milhões quinhentos e cinqüenta mil). Uma proeza que, de acordo com Petecão, reuniu mobilização, esforço de bancada e determinação na busca dos recursos. As emendas empenhadas compreendem desde a construção de estádio, quadras e galpão, passam pela aquisição de barco a motor e medicamentos e chegam à construção de casas populares e pavimentação de ruas. Para o deputado, as emendas, assim como as verbas extraorçamentárias, ainda funcionam como o grande instrumento disponível para socorrer os cofres das prefeituras. “Sustentadas pelos recursos viabilizados, as  obras vão assegurar uma melhor qualidade de vida a toda população local”.

Segundo Petecão, o trabalho parlamentar ainda exige um contato constante e direto com as prefeituras para verificação in loco das prioridades locais a serem incluídas nas emendas. Sem esquecer, claro, de solicitar dos prefeitos a regularização das pendências e obrigações, sobretudo junto ao INSS, convênios anteriores e aplicações constitucionais. Para o deputado, trata-se de um detalhe essencial já que a inadimplência das prefeituras é sinônima de suspensão e perda completa dos repasses, anulando todo o esforço despendido na pesquisa de prioridades e elaboração das emendas. “É como ver todo o trabalho ir por água abaixo”, diz. O deputado adiantou ainda  que o trabalho de final de ano, apesar de exaustivo, termina por render excelentes resultados, já que o empenho de muita emenda termina sendo definido nos últimos dias úteis do ano, “e a trabalho de bastidor do parlamentar pode ser decisivo para beneficiar toda uma comunidade”.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation