Arrecadação de impostos federais cresceu 14% no Acre em 2009

A arrecadação de impostos federais no Acre durante todo o ano de 2009 cresceu 14,15% em comparação com o período anterior. De janeiro a dezembro, os acreanos contribuíram com R$ 557 mil para os cofres do Governo Federal. Em 2008, a arrecadação chegou a R$ 470 mil. O bom desempenho verificado em alguns estados, porém, não foi suficiente para que o país registrasse uma queda na soma dos tributos recolhidos.

Ante 2008, a arrecadação de impostos pela União no ano passado encolheu 3,05%. Os impactos da crise financeira na economia brasileira contribuíram significativamente para o resultado negativo. A renúncia fiscal por parte do governo (como a redução do IPI para vários produtos) encolheu os cofres do governo. O país somou uma arrecadação de R$ 698 milhões em 2009.

Os estímulos do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para manter a economia aquecida fizeram com que a Receita perdesse R$ 24 bilhões. A extinção da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira), a transferência de depósitos judiciais e o pagamento de dívidas também contribuíram para a queda. Enquanto que em 2008 mais de R$ 31 milhões foram recolhidos de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), ano passado chegou a R$ 22 milhões.

Em dezembro, o Acre arrecadou R$ 67,5 mil em impostos federais. Em cotejo com o mesmo mês de 2008, houve uma variação positiva de 18%. O Estado só obteve o bom resultado por a produção industrial, um dos principais indicadores macroeconômicos a influenciar na arrecadação de impostos, ser bastante fraca. O lucro das empresas e o volume de vendas no varejo também têm influência direta. Em 2009, todos estes segmentos apresentaram resultados abaixo do ano anterior. 

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation