PAC investirá mais de R$ 55 milhões no sistema de abastecimento da Capital

guaa

O prefeito em exercício Eduardo Farias participou hoje pela manhã, 18, na sede do Serviço de Água e Esgoto de Rio Branco (Saerb) de reunião com a equipe técnica da autarquia. Segundo dados do Saerb, em 2009, a arrecadação de clientes particulares saltou de R$ 800 mil para R$ 1,7 milhão e as perdas também diminuíram: caindo de 1,8 mil litros por mês para 1,5 mil litros.

“Nossa meta é aumentar o volume disponibilizado em 3% ao mês e diminuir as perdas em 1,5%. Dessa forma, será possível garantir que todos os moradores tenham água de qualidade e de forma regular”, explicou o diretor-presidente do Saerb, Semy Ferraz.

É com este objetivo que a prefeitura de Rio Branco promove a interligação da Estação de Tratamento de Água (ETA II) ao Centro de Reservação da Floresta, na Estrada do Calafate. São quase cinco mil metros de adutora construída, beneficiando 28 bairros. A obra orçada em R$ 4,6 milhões é proveniente de recursos da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e contrapartida do Município no valor de R$ 500 mil.

Com a interligação da ETA II ao Centro de Reservação da Floresta, a prefeitura de Rio Branco acaba com um problema que sempre afetou aquela região, que foi a falta de água. A meta do Saerb é reformular toda a rede, evitando-se, dessa forma, os desperdícios.

“O Saerb vem aumentando o seu volume de água e chegando nos pontos mais críticos de nossa cidade, principalmente, na região do Calafate. Com isso vamos reduzir a intermitência e melhorar a qualidade no atendimento à população”, destacou o prefeito em exercício, Eduardo Farias.

Ao todo estão sendo realizadas 16 grandes obras de saneamento na Cidade de Rio Branco pelo governo federal em parceria com o governo do Estado e prefeitura de Rio Branco. Estes projetos de saneamento básico constam do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), cuja primeira fase está sendo executada com investimentos de  mais de R$ 21 milhões.

Regiões com problemas históricos no abastecimento de água, como Irineu Serra e Custódio Freira, em Rio Branco, passarão a ter cobertura total dos serviços.

Na Capital estão sendo realizadas obras de ampliação da rede de distribuição do Segundo Distrito, no Residencial Santo Afonso; reforço de redes primárias  do Setor Judia; complemento de reforço da rede primária do Setor Floresta; segunda etapa da setorização na Floresta, Universitário e Tucumã.

Também estão sendo feitos investimentos nos serviços de macromedição dos centros de reservação; instalação de hidrômetros; sistema de abastecimento para os bairros Custódio Freire e Irineu Serra; implantação da rede  no setor Bem-Te-Vi; substituição da rede de PVC classe 12 e fibrocimento para PVC Deforo no 1º Distrito; implantação da segunda etapa da setorização no São Francisco, Horto Florestal e Judia; e construção da  adutora e elevatória de água tratada da ETA II para o Centro de Reservação Comara.

No Comara, por exemplo, estão sendo investidos R$ 8,6 milhões. O Centro entra em funcionamento com capacidade de bombear 330 mil metros cúbicos de água por hora. A ETA Judia, atualmente tem capacidade de bombear 60 litros de água por segundo, enquanto que o Centro de Reservação Comara terá capacidade de bombear mil litros de água por segundo.

PAC saneamento para Rio Branco

Em Rio Branco, o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) vai investir cerca de R$ 55 milhões na ampliação da rede de água e R$ 105 milhões em esgotamento sanitário. A ETA II, localizada no bairro da Sobral, tem capacidade para atender à demanda da capital até 2026. Capacitada com moderna tecnologia em tratamento de água, com qualidade acima da média e grau de pureza maior que o exigido na certificação das indústrias de água mineral.

Hidrômetros impedem desperdício

Esses equipamentos de medição de consumo são importantes porque garantem que os usuários paguem somente pela quantidade de água consumida, diminuindo, com isso o desperdício e eliminando a cobrança pelo porte do imóvel. Além disso, a hidrometração ajuda a aumentar a pressão na rede, contribuindo para que a água chegue a pontos onde não conseguia alcançar sem o equipamento.

Antes, o serviço de micromedição do Saerb consistia em trabalhar na manutenção de ramais e conserto de vazamentos. Hoje, a partir do Plano de micromedição, o Saerb mantém quatro equipes de campo, três para instalar hidrômetros e uma para revisão e caça-gato. Essas equipes conseguem, por meio da análise de consumo, identificar os indícios de fraude e reduzir a clandestinidade.

A partir da instalação do hidrômetro em ligações fraudadas é possível colocar os usuários na regularidade sem estabelecer nenhuma punição. No Conjunto Universitário, por exemplo, foi comprovado que quase 80% das ligações de água possuíam algum tipo de fraude.

O objetivo da autarquia é instalar este ano, 33 mil hidrômetros em Rio Branco, 11 mil financiados pelo convênio com a Caixa Econômica Federal e 22 mil pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), trazendo benefícios diretos para a redução das perdas.

 

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation