Dindim se transformou num herói da oposição

O prefeito recentemente eleito de Feijó, Dindim (PSDB), foi recebido ontem com pompas pela bancada de oposição na Aleac. O fato de ter vencido uma eleição contra os partidos da FPA e por ter conseguido unir a oposição no seu palanque o tornou uma espécie de herói. 

Indagado sobre um processo no TSE que ainda poderia reverter à situação eleitoral no município, Dindim não acredita num retrocesso. “Acho que não tem mais desfecho. É só arquivar o processo. Já entraram com quatro ações e a Justiça já negou e determinou eleição que aconteceu e nós ganhamos com a maioria absoluta. Fomos diplomados e empossados, estamos trabalhando e tocando Feijó. Se a ministra do TSE negou é porque tinha provas e não suspendeu as eleições.

 Estamos só esperando um arquivamento do processo sem nenhuma afronta a ninguém”, garantiu.

Comparação entre a eleição municipal e a estadual
A tese de alguns oposicionistas é que a vitória de Dindim, em Feijó poderá significar uma perspectiva favorável aos tucanos para a eleição governamental no Acre. O prefeito analisa. “Acho que cada passo é um passo. Feijó era um município muito petista e nós conseguimos reverter o quadro. Avalio que nenhum poder é eterno e a agente vive de democracia, que é alternância de poder. Esse povo não vai se eternizar no poder. Um dia eles vão ter que sair. Estamos aí para ajudar a fazer revolução”, explicou.

Indagado sobre qual será o momento em que isso vai acontecer, Dindim, respondeu: “pode ser agora também. A gente tem que ter esperança. Um homem nasce na fé e vive na esperança. Quando um indivíduo perde a esperança ele está praticamente morto”, concluiu.

Relacionamento com o Governo
Quanto as parceria com o Governo, Dindim afirmou estar disposto a concretizá-las. “Ainda não conversei com o Governo do Estado porque ainda não tive oportunidade, mas estou de peito aberto para conversar com eles. A gente está tocando para frente. Feijó está evoluindo e dando um passo largo. Pagamento do funcionalismo em dia, cinco médicos contratados, R$ 700 mil de medicamentos e os postos de Saúde funcionando. A cidade limpa e buraco não se encontra mais dentro de Feijó, além de estarmos com vários projetos.

O nosso Carnaval foi um dos melhores do Acre e infelizmente não pude divulgar o nome do Governo porque ele não me deu um prego. Estamos tocando a cidade com recursos próprios. Feijó é uma cidade adulta que se sustenta. Claro que nós precisamos de recursos do Estado e queremos manter uma parceria. Mas vai depender do Governo do Estado. Eu estou de coração aberto para que isso aconteça”, garantiu.

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation