Em dia histórico, Rio Branco e mais 2 mil cidades apagam as luzes na Hora do Planeta

Na noite do próximo sábado, o Palácio Rio Branco, a sede do Governo do Acre, estará no grupo de prédios e monumentos que vão apagar suas luzes para chamar a atenção do mundo sobre as mudanças climáticas produzidas pela ação humana ao longo dos últimos séculos. Essa é a proposta da Hora do Planeta, iniciativa idealizada pela WWF, a maior organização não-governamental que tem como bandeira a defesa ambiental.

Entre às 20h30 e 21h30 do sábado, dia 27, 2,3 mil cidades em 117 países vão apagar as luzes de seus principais monumentos. Essa é a forma encontrada para alertar o mundo sobre as ameaças das mudanças climáticas e dar o recado de que ainda é possível evitar o pior.  

Na manhã de ontem, Rio Branco aderiu oficialmente à Hora do Planeta. A solenidade teve a participação do secretário estadual de Meio Ambiente, Eufran Amaral, do superintendente do Ibama, Anselmo Forneck, da representante da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Márcia Oliveira, e do chefe do escritório do WWF Brasil no Acre, Alberto Tavares, o Dande.

“Esse é um ato simbólico das pessoas para alertar os governos nas suas mais distintas esferas para a elaboração de um acordo global robusto”, diz Dande. “É um ato simbólico de apagar as luzes das nossas casas para acender a luz do planeta”. De acordo com o ambientalista, a Hora do Planeta também tem como objetivo chamar a atenção dos governantes para a necessidade de adotar medidas eficazes para amenizar os impactos do aquecimento global.

Para Márcia Oliveira, a idéia serve como instrumento para mostrar que não somente os governos podem contribuir para a garantia de uma vida melhor, mas que qualquer cidadão, em suas pequenas atitudes, já pode ajudar na construção de um mundo que não sofra tanto com as alterações climáticas. “Todos podemos contribuir para um mundo melhor”.

Além do Palácio Rio Branco, as luzes do Horto Florestal também serão apagadas. Algumas indústrias locais também se comprometeram em ficar uma hora às escuras pelo bem do planeta. Dentro da maior florestal tropical do mundo, Rio Branco tem ao longo dos últimos anos tentando conquistar o título de Capital Verde. Algo que ainda está muito longe de ser alcançado.

Atualmente, toneladas e mais toneladas de esgoto são despejadas diariamente no Rio Acre sem nenhum tratamento. A grande maioria da população ainda não tem acesso aos serviços de saneamento básico. Somente agora que a cidade passou a contar com uma unidade de tratamento de resíduos sólidos que não agride o meio ambiente. Com um trânsito caótico, Rio Branco também ainda carece de um sistema de transporte coletivo eficaz, capaz de fazer com que a população deixe seus automóveis em casa.

Por outro lado, o Estado do Acre tem chamado a atenção do mundo com sua política de desenvolvimento sustentável, que tem possibilitado a cada ano a redução em seus níveis de desmatamento. “Temos tido um grande esforço para reduzir nossos níveis de desmate e queimadas. Simbolicamente o governo adere à Hora do Planeta para mostrar que estamos juntos com a sociedade rumo ao desenvolvimento sustentável, a partir da manutenção da floresta em pé e com a melhoria da qualidade de vida de quem mora na floresta, em harmonia com ela”, afirma Amaral.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation