Educação profissional no Acre receberá investimentos de R$ 38 milhões

O governador Binho Marques e o ministro da Educação, Fernando Hadad, assinaram na segunda-feira, 29, convênio de R$ 38.790.861,75 para construção e reforma de escolas de ensino profissionalizante nos municí-pios de Rio Branco, Taraua-cá, Feijó , Brasiléia, Xapuri, Plácido de Castro e Cruzeiro do Sul. “São recursos que somam-se aos investimentos que já vem sendo feitos, o que garante ensino profissio-nalizante em todas as regionais do Acre”, disse o diretor-presidente do Instituto Dom Moacyr, Irailton Lima.
Hadad-binho
O governador do Acre, Binho Marques, destacou a articulação entre as esferas de poder na construção do programa e a importância da educação profissional para o desenvolvimento regional. “Esta política é de inclusão social, o que no Estado chamamos de florestania. Cidadania para os povos da floresta”, disse.

O ministro da Educação, Fernando Hadad, afirmou que o Acre já está colhendo os frutos dos investimentos educacionais dos últimos anos. “A melhora em todos os índices demonstra acerto na política. O Brasil Profissionalizado vai contribuir ainda mais com o desenvolvimento do Estado”, afirmou Hadad.

A solenidade, ocorrida no Gabinete do ministro,  contou com as presenças do senador Tião Viana; dos deputados federais Nílson Mourão, Perpétua Almeida e Fernando Melo; da secretária de Educação do Acre,  Maria Corrêa; e do diretor-presidente do Instituto Dom Moacyr, órgão responsável pelo convênio e que realiza as ações de educação profissional no Estado. Participaram também o secretário executivo do MEC, Henrique Paim, o secretário de Educação Profissional do MEC, Eliezer Pacheco, e o presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, Daniel Balaban. “Com este convênio, damos mais um passo rumo ao desenvolvimento sustentável do Acre porque educação profissional é inclusão social”, completou Irailton Lima.

Fernando Hadad destacou os avanços da educação no Acre e parabenizou o governador Binho Marques.  Para Hadad, Binho Marques, en-quanto secretário de Educação, teve atuação importante para que o MEC avançasse em visão sobre a diversidade de realidades que o Brasil apresenta. Ele  destacou o papel estratégico da educação profissional na promoção da inclusão social e no desenvolvimento do país. “Não tenho dúvidas  que os recursos que o MEC está aportando no Estado serão muito bem empregados”, disse o ministro.

No Acre, os últimos dez anos foram marcados por uma revolução na Educação para o trabalho. A partir do ano 2000, com a elaboração do Plano de Educação Profissional (PEP), o Governo Estadual iniciou a estruturação de sua rede de educação profissional e tecnológica, inicialmente desenvolvida pela Secretaria de Estado de Educação (SEE) por meio da Gerência de Educação Profissional (Gepro). Com a evolução contínua e acelerada das ações estruturantes implementadas pela SEE/Gepro, a educação profissional adquiriu o status de política de Estado.

O processo de consolidação da Política Estadual de Educação Profissional teve um marco fundamental em 2005, na criação de uma autarquia responsável por sua gestão. Surgia então o Instituto Estadual de Desenvolvimento da Educação Profissional Dom Moacyr Grechi (IDM). Atuando como uma rede dinâmica, os Centros de Educação Profissional do IDM, localizados em Rio Branco e Cruzeiro do Sul, ofertaram formação básica e de habilitação técnica, nas mais diversas áreas profissionais, aos variados públicos em todos os municípios do Estado, alavancando os arranjos produtivos locais e, cada vez mais, fortalecendo  as organizações comunitárias.

O novo Plano Estadual de Educação Profissional PEP 2009-2016, lançado em 2009, identificou uma grande demanda de qualificação profissional ainda não atendida, e também emergente, tendo em vista a dinâmica do contexto sócio-econômico vivenciada no Estado do Acre. Nesse sentido, o PEP 2009-2016 prevê o fortalecimento e a expansão da rede visando a descentralização da oferta de cursos de formação profissional, com qualidade e regularidade, em todas as regionais do Estado. Com esse objetivo, o Governo do Estado aderiu ao Programa Brasil Profissionalizado, do Ministério da Educação, o qual possibilitará nos próximos anos o investimento na construção, reforma e ampliação das escolas técnicas do IDM. (Agência Acre)

 

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation