Plasacre chega à Rio Branco para dar novo destino ao plástico reciclado

A Plasacre será a indústria responsável pela transformação do plástico reciclado em produtos de consumo doméstico, como baldes, bacias e pás de lixo, ou ainda de capacetes. Essa será a primeira empresa de reciclagem e transformação de produtos plásticos no Acre e as atividades serão ini-ciadas no próximo mês.
Plesacre
Com expectativa de geração de 150 empregos diretos e mais de 230 indiretos a empresa já inicia atividades superando a capacidade inicial para qual foi implantada. O diretor da Plasacre, Eder Paulo dos Santos, explica que o projeto inicial era produzir apenas a matéria-prima para produção de objetos de plástico.

“Nós vamos lançar aqui a produção de uma telha plástica, que tem um peso infe-rior da que é utilizada normalmente nas construções e o custo também é inferior. Além disso, vislumbramos a capacidade de produzir a matéria-prima como também os próprios objetos. O que é considerado lixo pode ser transformado em dinheiro”, afirmou.

O diretor argumentou ainda que a fábrica tem capacidade de produção de 25 toneladas de matéria-prima por dia, levando em conta que cerca de 30% do lixo recolhido é composto por materiais plásticos. Além disso, a fábrica também representa ao acreano a possibilidade de adquirir os produtos finais ao custo de 20 a 30% inferior aos valores praticados na venda de produtos domésticos vindos de outros estados.

A Plasacre foi implantada com incentivo do Governo do Estado e da prefeitura de Rio Branco, onde o investimento foi superior à R$ 25 milhões captados em bancos, além de R$ 5 milhões de capital próprio da empresa. O trabalho de coleta e processamento do material irá continuar sendo realizado pelos catadores do Projeto Catar.

Em visita as instalações provisórias da empresa o secretário adjunto de Ciência, Desenvolvimento e Tecnologia, Luiz Mesquita, fala sobre a importância do empreendimento para o cenário tecnológico e econômico do Estado.

“Para o setor de ciência e tecnologia é uma mudança brusca e positiva a implantação de uma empresa desse ramo. É importante para o aspecto do desenvolvimento sustentável do Estado a parceria com empresas que tem responsabilidade social e ambiental. A Plasacre vai gerar emprego e renda a partir de uma matéria-prima que ficaria enterrada e poluindo o meio ambiente. Essa instalação é importante não só pelo aspecto ambiental como também pelo econômico”, destacou.

O prefeito, Raimundo Angelim, que também visitou o galpão onde estão as máquinas da Plasacre, acrescentou que a empresa representa a formação de um clico de destinação adequada dos resíduos produzidos na Capital.

“Essa empresa viabiliza o projeto de Unidade de Tratamento de resíduos Sólidos (Utre), fortalecendo a coleta seletiva que realizamos há cinco anos. Nós já aumentamos e vamos aumentar ainda mais esse volume pois a população tem entendido o  nosso projeto. Hoje com Plasacre instalada temos todo o ciclo completo com a coleta, tratamento, industrialização e comercialização, gerando emprego, renda e melhorando a qualidade de vida da população”, afirmou o prefeito. (Ascom PMRB)

Assuntos desta notícia

Join the Conversation