SP paga mais caro pelo álcool; Acre ainda não sofre reajuste

Os paulistas que abastecem o veículo com álcool estão pagando mais caro pelo combustível. Em média, o reajuste foi de 10%. Em alguns postos, o litro subiu R$ 0,10. Os donos de postos alegam que estão comprando o etanol com um valor até 8% maior do que o normal. No Acre, a tabela de preços ainda permanece inalterada. Segundo alguns donos de postos, ainda não há informações de aumento junto aos fornecedores.Gasolina
O último aumento aconteceu há mais de 60 dias. O acréscimo do preço acontece no momento de bonança nas usinas, já que se está no período de safra da cana-de-açúcar – a matéria-prima do combustível. Em todo mês de abril, a alta no valor do álcool nas bombas está acumulada em 15%. Em alguns postos de São Paulo há o comprometimento no fornecimento do produto. As usinas alegam escassez de álcool.

A elevação acontece depois de um março de queda no preço. Mês passado os produtores recolhiam os bons resultados de começo da safra. O custo para o consumidor chegou ficar 12% menor, mas agora ele precisará gastar mais na hora de abastecer com este tipo de combustível.  Segundo a última análise da ANP (Agência Nacional de Petróleo), o preço médio do álcool na Capital era de R$ 2,45.

Caso o reajuste siga o mesmo percentual de São Paulo, o valor por litro pode chegar a R$ 2,55. Em relação à gasolina, o preço do álcool ficaria em 91%. Só há vantagem econômica de abastecer com o etanol se o preço não ultrapassar 70% do da gasolina. Atualmente essa diferença está em 88%. 

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation