Empresário é preso acusado de encomendar morte de corretor

O empresário Celso Guedes Gomes, 44 anos, e mais quatro pessoas foram presas pela Polícia Civil na Operação Tiradentes. Celso é acusado de mandar matar o corretor de empréstimos pessoais Glauber de Lima Gomes, 26 anos, executado a tiros no dia 22 de janeiro de 2008, no Lotea-mento Novo Horizonte, bairro das Placas.
Presos-acusados
A operação começou no dia 21 (Dia de Tiradentes) e cumpriu 322 mandados de prisão em todo o Estado.

Segundo o que a Polícia Civil conseguiu apurar do crime, a vítima trabalhava como corretor na empresa SempreCred, de propriedade de Celso Guedes, e seria um dos melhores funcionários. Em um determinado dia, julgando não estar sendo bem remunerado, Glauber teria solicitado um aumento de salário, o que foi negado pelo patrão. A partir daí, o corretor decidiu pedir demissão e foi prestar serviços para outras empresas de empréstimo pessoal.

A decisão do funcionário teria irritado Celso Guedes, que teria contratado Geraldo da Costa Júnior, 25 anos, para matar Glauber. O “serviço” seria pago no valor de R$ 10 mil.

Geraldo, supostamente terceirizou a encomenda de morte e contratou José Chaves de Araújo, 24 anos, o “Chaves Neto”. Por sua vez, Chaves contratou Alcemir da Silva, 30 anos, e Diógenes da Silva Correa, 22 anos, o “Dim”, para executarem a vítima.

Dos cinco acusados, Alcemir e Diógenes estavam presos no presídio, por outros crimes de homicídio.

O empresário Celso Guedes foi preso na cidade de Porto Velho e José Chaves e Geraldo foram presos em Rio Branco.

Os cinco foram levados à delegacia do Grupo Antiassalto da Polícia Civil (Gapc), onde foram indiciados pela morte do corretor.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation