China: fonte de inovação e novas tecnologias

Recém-chegado da China, onde visitou a Feira de Negócios de Cantão, juntamente com uma comitiva de aproximadamente 80 pessoas – entre empresários e políticos -, o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Acre (Fieac), João Francisco Salomão, falou sobre a experiência no quadro Hora da Indústria de ontem, 28, do programa Planeta FM.

De acordo com ele, definitivamente, o Acre deixou de ser um Estado isolado para fazer parte de um mundo globalizado. “Os empresários da indústria têm que estar atentos, têm que participar deste tipo de evento e buscar sempre a inovação e novas tecnologias, em que a China é um grande expoente. Esse mercado de exportação ou importação hoje faz parte do nosso contexto”, afirmou Salomão.

O empresário disse que a comitiva tinha dois grandes objetivos: participar da Feira de Negócios de Cantão (Guangzhou) – uma das maiores do mundo – e visitar uma Zona de Processamento de Exportação (ZPE), que ficava em Zhuhai, situada a 100 km de onde foi realizado evento. O grupo participou de rodadas de negócio e visitou tendas de produtos e setores referentes aos respectivos segmentos que cada participante representava.

“Só esse deslocamento para uma feira desta magnitude, a oportunidade de conhecer novos produtos, de ter acesso a novas tecnologias, já valeriam a pena. E também foi importante que a classe política tivesse acesso a essas informações, porque senão fica difícil defender o desenvolvimento do nosso Estado se eles não conhecerem o que está acontecendo no mundo”, acrescentou.

Do meio político, estiveram presentes o senador Tião Viana, o prefeito Raimundo Angelim, o deputado Gladson Cameli, o vice-governador César Messias, o secretário de Planejamento, Gilberto Siqueira, e o secretário de Estado de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia, César Dotto, que puderam conferir de perto as diferenças de legislações trabalhista, tributária e ambientais.

Salomão explicou que as oportunidades para o Estado ficaram bem claras aos visitantes, sobretudo na área de alimentos. A demanda da China por carne vermelha, produto de excelente qualidade e livre de aftosa produzido no Estado, é muito grande – algo que motivou os representantes do setor de agropecuária. Além disso, o grupo trouxe na bagagem mais experiência em mercado internacional, que irá contribuir para viabilizar os negócios entre os países vizinhos, como o Peru.

ZPE – A visita à ZPE de Zhuhai, fundada em 1996 e que atualmente conta com 200 empresas cadastradas e investimentos em torno de 1 bilhão de dólares, foi de grande importância principalmente para o setor industrial. “O senador Tião Via-na, um dos grandes defensores do projeto, pode ver de perto a importância de uma Zona de Processamento de Exportação. Ficou muito claro para ele, lá na China, a real dimensão dos benefícios de uma ZPE para uma região”, destacou Salomão.

O presidente da Fieac garantiu que o foco agora, a partir dessa viagem, é lutar para que sejam viabilizadas condições para implantação de indústrias no Estado. Uma das iniciativas seria a própria implantação da ZPE. “Com ela, teríamos que buscar produtos para atender principalmente os países sulamericanos, que importam muito do Centro-Sul do Brasil. Agregaríamos valor aos nossos produtos de grande potencial, como a madeira e a carne, que são de excelente qualidade”.

Como a ZPE é livre de impostos, cria-se as condições necessárias para a instalação de empreendimentos na área e de pequenas indústrias fornecedoras ao redor, gerando assim mais riqueza e empregos. (Ascom Fieac)

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation