Pular para o conteúdo

Deputado Flaviano Melo pede conserto de mamógrafos do Estado

Brasília – O deputado Flaviano Melo (PMDB-AC) cobrou ontem (27) do Governo do Acre providências imediatas no sentido de mandar consertar os dois mamógrafos da Secretaria de Saúde, quebrados há meses, e que está prejudicando centenas de mulheres acreanas que dependem da rede pública de saúde para fazer uma mamografia. No domingo, o programa Fantástico, da TV Globo, expôs ao país o drama das mulheres que dependem dos hospitais públicos para o exame, cuja realização é assegurada por uma lei aprovada há um ano.
Flaviano2804
O Fantástico trouxe depoimentos de mulheres de alguns estados, entre os quais o Rio de Janeiro, o Amazonas e o Acre.  No caso do Acre, o programa mostrou o drama da diarista Maria de Lurdes Costa da Rocha, que mora no interior. Após vários meses de espera, Maria conseguiu do governo uma passagem para ir a Rio Branco fazer tratamento médico. O profissional que a atendeu recomendou uma mamografia. Mas não será desta vez que a diarista conseguirá ser atendida. “Fiquei estarrecido com a situação”, disse Flaviano.

Os dois únicos mamógrafos do Estado estão quebrados e não há previsão de conserto. “A fábrica está se recusando mandar um técnico para consertar o equipamento”, conta a chefe do Centro de Oncologia (Cecon) no Estado, Síglia Souza de França. De acordo com ela, os mamógrafos estavam em pane e foram consertados recentemente. “Funcionou uma semana e parou novamente”, explica Síglia. O último conserto custou R$ 20 mil aos cofres estaduais, mas agora a fábrica estaria fazendo corpo mole para consertá-los.

Desculpa esfarrapada
“Essa desculpa é, no mínimo, esfarrapada”, diz Flaviano Melo. “Como é que um Estado que gasta R$ 7,9 milhões para comprar um helicóptero, não é capaz de liberar recursos para por em funcionamento um equipamento que salva vidas?”, questionou.

Flaviano entende que o governador Binho Marques (PT) precisa, com urgência, determinar aos seus auxiliares da Saúde o conserto dos mamógrafos. “As pessoas, geralmente pobres, não podem continuar vítimas desse descaso governamental”, diz o presidente do PMDB no Acre. Ainda segundo o deputado o povo acreano, notadamente o do interior, está a exigir do governo local ações mais efetivas de saúde, mais emprego e segurança pública.

Em recentes viagens ao interior do Acre, Flaviano Melo conversou com as pessoas acerca dos problemas que mais as preocupam. “Percebi que as maiores reclamações estão relacionadas com a saúde pública”, explicou. De acordo com o deputado, a população reclama da falta de médicos, de exames e de medicamentos nos hospitais e postos de saúde do governo. (Ascom PMDB)

Sesacre emite nota de esclarecimento
No dia 24 de março, uma forte oscilação de energia deixou sem funcionamento os dois mamógrafos da Secretaria de Saúde. Um ficou inutilizado e o outro sofreu sérios danos;

Para solucionar o problema a SESACRE acionou a empresa autorizada, TECNODATA, que por sua vez teve que importar peças que só chegaram ao Brasil no dia 15 de abril, e em Rio Branco no dia 23;

Na última segunda-feira, 26, o técnico iniciou a manutenção corretiva dos equipamentos com previsão de entrega até o final desta semana, 30 de abril;

Paralelamente, a SESACRE iniciou o processo de licitação, através da Comissão de Licitação Permanente do Estado, com previsão de 60 dias para entrega do equipamento;

Além disso, nesta terça-feira, 27, o governador Binho Marques autorizou a SESACRE a aderir a uma ata de registro de preço para a aquisição de mais um equipamento de mamografia, com prazo de entrega previsto para o dia 25 de maio;

Outra ação paralela é a instalação de um mamógrafo adquirido pela prefeitura de Rio Branco, com previsão de entrar em funcionamento nos próximos 30 dias.

Assim, com a entrega dos 2 novos mamógrafos, mais o que está em manutenção, somado ao da prefeitura de Rio Branco, o Estado do Acre terá 4 mamógrafos. Quantidade adequada para atender a população do Estado e as exigências do Ministério da Saúde que orienta que para cada 200 mil habitantes deve haver um mamógrafo.

De forma imediata, para que as mulheres que necessitam do exame não tenham prejuízo em seus atendimentos, a SESACRE efetuou convênio com o Hospital Santa Juliana para a realização dos exames, enquanto a situação se regulariza;

Por fim, a reportagem foi correta ao mostrar que os equipamentos estavam com problemas, mas as ações desenvolvidas pelo poder público foram devidamente tomadas e serão capazes de resolver o problema de forma estrutural.
 
Osvaldo Leal
Secretário de Estado de Saúde