Guerreiro, Corinthians atropela os Meninos da Vila no Pacaembu: 4 a 2

Uma goleada com sabor de vingança. O vistoso futebol dos Meninos da Vila, tão questionado pelos corintianos no duelo pelo Paulistão, não foi páreo para uma eficiente marcação e uma pontaria afiada do Timão. O líder do Campeonato Brasileiro venceu por 4 a 2, com gols de Jorge Henrique, Bruno César, Ralf e Paulinho.

dentinho-ralf_fut_jpg620

Os dois últimos foram comemorados com um tom de deboche, simulando uma pescaria, em alusão ao mascote do adversário, que costuma fazer coreografias após seus gols. Os santistas marcaram com André e Marcel e reclamaram bastante de um polêmico gol anotado por Marquinhos e anulado pelo árbitro Salvio Spinola.

A equipe dirigida por Mano Menezes, com 13 pontos, aproveita o período pré-Copa do Mundo para acumular gordura na briga pelo título. Seus principais concorrentes hoje são Ceará (11 pontos) e Fluminense (nove). Na próxima rodada, enfrenta um outro candidato ao título, o Internacional, quinta-feira, às 21h, novamente no Pacaembu.

Já o Santos, que assumiria a liderança com uma vitória, volta para a Baixada com o prejuízo. A derrota, a primeira na competição, derruba o Peixe para a oitava colocação, com oito pontos. Na quarta-feira, visita o Cruzeiro, às 21h50m, no Mineirão, em Belo Horizonte.

Timão marca muito e abre o placar no primeiro minuto. Peixe reclama

Mano Menezes surpreendeu ao escalar o Corinthians com um ataque mais veloz e ao apostar na criatividade no meio de campo. Bruno César, Danilo, Dentinho e Jorge Henrique receberam a missão de atrapalhar a saída de bola santista. O Timão foi um gigante na marcação. Ralf e Elias também avançaram e confundiram todo o trabalho de Arouca e Wesley na ligação da defesa com o sistema ofensivo.

Logo no primeiro minuto, a estratégia corintiana deu resultado. Ralf roubou a bola no meio e entregou para Danilo, que viu Bruno César livre. O meia arriscou da entrada da área, Felipe bateu roupa no canto esquerdo, e a bola sobrou para Jorge Henrique mandar para o fundo da rede. Explosão da Fiel no Pacaembu.

Para responder, o Santos concentrou seu jogo pelo lado esquerdo, tentando aproveitar a instabilidade de Jucilei, improvisado na lateral direita. Léo desceu bastante, mas, desta vez, não contou com o auxílio de Paulo Henrique Ganso e Neymar, muito escondidos diante da pegada firme do Corinthians. Marquinhos, aos cinco minutos, criou a primeira situação ao chutar de longe, obrigando Felipe a espalmar para escanteio.

A vantagem fez o Alvinegro da capital esperar o Santos em seu campo para contra-atacar. Aos 14, Dentinho rolou de calcanhar para Roberto Carlos ir à linha de fundo e cruzar com perfeição para o meio da área. O baixinho Jorge Henrique ganhou pelo alto do grandalhão Durval e cabeceou no travessão. O Santos respondeu aos 27 em um lance polêmico. Marquinhos recebeu de calcanhar de Neymar, chutou e Felipe defendeu. No rebote, Chicão tentou afastar, acertou Jorge Henrique, e a bola sobrou para o mesmo Marquinhos mandar para o gol. O árbitro, erradamente, marcou impedimento do meio-campista.

Com o passar do tempo, o Corinthians cansou e não conseguiu manter a força na marcação. Melhor para os Meninos da Vila, que começaram a aparecer. Aos 38, quase o empate. André recebeu toque de cabeça de Arouca na área, mas Felipe se antecipou e fez o corte. Neymar pegou o rebote, driblou o goleiro e bateu por cobertura. Antes que a bola entrasse, Chicão fez o corte e evitou o gol.

Peixe reage, mas Timão garante vitória

Na volta do intervalo, o Corinthians tentou impor a mesma pressão da etapa inicial, mas foi o Santos que conseguiu marcar. Apesar de toda a concentração de corintianos no campo de defesa, Marquinhos recebeu passe na intermediária e achou André entre os zagueiros. Livre, o centroavante avançou e finalizou sob pressão. A bola, mansamente, entrou no canto direito de Felipe.

A resposta do Corinthians foi imediata e fatal. Em uma das poucas vezes em que foi à frente, Jucilei avançou pela direita e cruzou. Edu Dracena afastou mal, e a bola sobrou para Bruno César fuzilar Felipe, fazendo o segundo gol dele em dois jogos.

Outra vez atrás no placar, Dorival Júnior apostou na entrada de Madson no lugar de Neymar, que deixou o campo com cara de poucos amigos. Não deu certo. Pior: o Corinthians ampliou pouco tempo depois com um golaço. Ralf recebeu na entrada da área, driblou Madson e bateu rasteiro, no canto direito: 3 a 1.

O Santos bem que tentou reagir, mas a tarde era corintiana. Marquinhos, aos 31, aproveitou cruzamento de Léo, e Felipe fez bela defesa. Seis minutos mais tarde, a zaga do Timão parou, Madson avançou livre de frente para o goleiro, mas chutou errado, à direita da meta paulistana.

Aos 39, o Corinthians encontrou tempo para fazer mais um. Após cruzamento de Roberto Carlos pela esquerda, Paulinho subiu de cabeça e marcou o quarto, para delírio da Fiel no Pacaembu. Aos 42, contudo, Marcel descontou com uma cabeçada ao aproveitar um cruzamento da direita. (Globo Esporte / Foto: Futura Press)

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation