Acre abre as portas para receber turistas europeus

Convite da Suframa e da Agência de Desenvolvimento do Turismo (Adetur Amazônia) a todos os estados da região Norte permitiu ao Acre a possibilidade de, por meio de parceria público-privada, apresentar aos europeus os produtos artesanais e de interesse turístico durante a Mostra Internacional de Artesanato, feira de negócios realizada entre 24 de abril a 2 de maio em Florença na Itália que envolveu 850 expositores de 50 países. O artesanato de origem florestal e rotas turísticas que valorizam experiências sócio-vivenciais foram os grandes trunfos da equipe acreana formada por empresários da cadeia turística, representantes de entidades representativas do setor de artesanato e pelo secretário de Esporte, Turismo e Lazer, Cassiano Marques, e que causaram grande interesse de compradores e operadores de turismo europeus.

acre_recebe_1

As peças artesanais apresentadas no evento compõem o Catálogo do Artesanato Acreano 2010 elaborado em parceria entre Governo do Estado, Sebrae e coordenadoria de Economia Solidária. Todas foram negociadas durante a feira e os dois representantes do segmento trouxeram na bagagem um grande leque de negócios futuros. O presidente da Cooperativa de Produtos e Serviços Econômicos e Solidários do Acre (Coesa) e o artesão da área de marchetaria, Maqueson Pereira, participaram da feira durante a qual foi apresentada ainda a “bola ecológica” confeccionada em látex nativo colhido na Reserva Extrativista Chico Mendes.

Do velho ao novo mundo – Valor agregado de produtos e serviços ao desenvolvimento sustentável foi o que mais chamou atenção dos empresários europeus que veem no Acre a porta de entrada para um novo e original mundo de destinos turísticos. Roteiros naturais que exprimem a cultura do povo, que viabilizam o contato próximo com as experiências cotidianas dos moradores de comunidades que vivem na floresta, despertaram tanto o interesse das operadoras de turismo que, de junho a outubro, missões empresariais virão ao Acre para conhecer de perto e experimentar o principal produto vendido pela equipe acreana na feira de Florença: o turismo sócio-vivencial.

Neste conceito estão incluídos os roteiros do Etno-turismo que abrangem aldeias e terras indígenas; as rotas Amazônia-Andes-Pacífico, Caminho de Chico Mendes e da Revolução Acreana e sobrevoos em áreas onde estão localizados os geoglifos. A conexão do Acre com o mercado internacional como o Peru e a Bolívia enriquecem as propostas desse novo destino na América do Sul. Para o secretário de Esporte, Cultura e Lazer, Cassiano Marques, resultados concretos podem ser verificados em curto prazo. “O Governo do Estado irá apoiar a vinda dessas missões empresariais e a partir de 2011, o Acre deverá constar na cadeia de distribuição do portfólio de produtos de operadoras europeias”.

O coordenador regional da Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura do Acre (Abeta) e diretor da Maanaim Amazônia, João Bosco Nunes, reconhece a importância da participação do Acre na feira pois, segundo ele, nenhum estado da Região Norte teve a oportunidade de ficar frente a frente com 12 das maiores operadoras de turismo da Europa, continente responsável pelo maior número de emissão de bilhetes para a América do Sul. “Nossos produtos são desconhecidos e hoje são os que mais interessam os europeus, que estão cansados dos mesmos destinos e do que eles chamam de turismo de cenário”, diz.

Protocolos facilitam transações comerciais entre estados da Amazônia e Itália

O primeiro passo para criar vínculos comerciais no setor de turismo é formular protocolos para fortalecer as parcerias com outros países. Em dezembro de 2009 um carta de intenções foi assinada para formalizar documento que está quase concluído e deverá resultar em acordo de cooperação entre os estados da Amazônia e a Itália que abrirão definitivamente as portas para a oportunidade de receber uma demanda reprimida de 3 milhões de turistas europeus e asiáticos que têm interesse em conhecer a região amazônica. Somente Acre e Amazonas participaram da feira de artesanato na Itália. Tanto o secretário Cassiano Marques quanto empresários acreanos participaram de rodada de negócios com empresários italianos do setor. 

O presidente da Adetur Amazônia e empresário, José Morais, enfatiza que o Acre apresentou durante a feira na Itália, uma cara profissional, qualificada que atraiu o interesse de muitos investidores no turismo desta região. Todo o material de divulgação (revista, folders, vídeo, banners) foi elaborado incluindo também o idioma italiano. “Eles se sentiram prestigiados. Precisamos nos preparar, nos capacitar, nos qualificar para atender esta demanda. Os europeus são os que mais gastam com turismo, mas exigem qualidade nos serviços. Podemos atingir este patamar dando atenção à toda cadeia turística, desde o taxista até o atendimento em hotéis e restaurantes”.

“As empresas que não se adequarem a este novo momento ficarão de fora desse mercado”, reiteira o secretário Cassiano Marques lembrando que há quatro anos a equipe não teria feito esta viagem. Ele explica que hoje o estado está melhor preparado para atender este nicho específico de mercado que busca o etnoturismo e o ecoturismo que proporcione experiências vivenciais com as comunidades que residem na região. (Agência Acre)

Assuntos desta notícia


Join the Conversation