Cetemm festeja seus 18 anos com afirmação de novos compromissos

Já são 18 anos e a ‘maioridade’ do Centro de Tecnologia da Madeira e do Mobi-liário (Cetemm) foi marcado por uma grande festa envolvendo seus dirigentes e os talentosos alunos formados pela entidade. O palco foi a própria sede do Cetemm, às 9h, na Zona B do Distrito Industrial. Contudo, não foi só com a festança que o grande momento do Cetemm foi comemorado. Como todo trabalho voltado ao progresso local, o centro direcionou sua solenidade à afirmação de novos (e desafiantes) compromissos.

A primeira das novas metas foi o Catálogo de Produtos, um rol dos 20 itens moveleiros (objetos decorativos e pequenos moveis) mais novos que o Cetemm produz. A segunda novidade lançada na festa foi o Caderno de Referência do Mobi-liário 2011, um projeto que reúne os Senais de 7 estados para desenvolver concepções inovadoras de designers. A terceira e última inauguração foi o dos Termos de Cooperação Técnica, pactos entre várias cidades brasileiras, a fim de fomentar o tipo de produção do Cetemm no país.

Mas que tipo de produção é essa que marcou o sucesso do Cetemm nestes 18 anos? Para responder, ninguém melhor do que Renato Rocha Almeida, atual diretor do centro. De acordo com ele, a maior marca deste trabalho é oferecer ao mercado acreano produtos feitos sob as mais modernas tecnologias, com formação de alunos para atender a esta demanda de serviços com alta qualidade. E tudo sem deixar de lado o rigor da sustentabilidade.

“Buscamos produzir sempre com matéria-prima de qualidade e que seja extraí-da causando o mínimo de impactos ambientais possíveis. Isso garante a manutenção dos nossos recursos e o desenvolvimento do nosso Estado”, assegurou Renato.

Futuro – Olhar mais à frente é importante para qualquer entidade que deseja mais 18 anos de vida prósperos. Atento a isso, além dos planos já citados, o diretor do Cetemm adianta que o centro tem planos de desenvolver seus cursos e fortalecer suas parce-rias. Com isso, o núcleo estenderá sua atuação no mercado local, na qualidade/quantidade de produtos, além de aumentar a sua contribuição para o desenvolvimento local.

De prático, o Cetemm planeja fazer wokshops de aperfeiçoamento ao ensino dos atuais (e possíveis novos) cursos e construir políticas mais sustentáveis para a garantia do uso adequado de recursos naturais e o reflorestamento. Atualmente, o centro possui cinco modalidades de ensino, com 5 a 8 cursos em cada.           
  

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation