Motoristas de ônibus ameaçam parar na próxima semana

Em assembléia geral, realizada ontem em duas chamadas, os motoristas e cobradores de ônibus tiraram um indicativo de greve para a próxima segunda-feira, 24. Mas de acordo com a presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Coletivo e Cargas do Estado do Acre (Sinttpac), Celina Ferraz, a paralisação pode ser suspensa caso os empresários do setor revejam a proposta 2,75% oferecida à categoria.
Onibus
Segundo Celina Ferreira, as perdas salariais da categoria já se aproximam de 40% e chega a ser desrespeitoso o reajuste oferecido pelos patrões. Diante as cinco tentativas de negociações frustradas, a greve é o último recurso que dispõe os trabalhadores.

Caso o movimento venha a ser deflagrado, a frota de ônibus da Capital vai operar com 40% do seu efetivo nos horá-rios normais e 100% nos horários de pico. A intenção do sindicato era deixar o mínimo de 30%, previsto em lei, mas em virtude de Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado pela diretoria anterior, é obrigada a adotar esse critério, de forma que o movimento será pouco sentido pela população.

O reajuste dos salários, com reposição das perdas salariais, encabeça a lista de reivindicações dos servidores. Em segundo, está a discussão da intra-jornada, que varia de uma a duas horas, e segundo o sindicato funciona mais como uma prisão do que como um benefício para o trabalhador.

“O trabalhador do transporte coletivo é obrigado a ficar recluso na parada final ou no Terminal Urbano para fazer as suas refeições ou ter o merecido descanso, assegurado por lei, isso mais parece uma prisão”, ques-tiona Celina. O sindicato também reivindica melhores condições de trabalho, tais como local para descaso e refeitório.

Reajuste da tarifa
Paralelo a discussão de um reajuste para os trabalhadores do transporte coletivo, também está em discussão o aumento da passagem de ônibus. Em relação a essa questão, o sindicato disse que não quer ficar no meio dos patrões e da prefeitura, mas não descarta a possibilidade da greve ser usada como desculpa para pleitear o aumento.

Greve nas Justiças Federal e Eleitoral –  Em assembléia geral extraordinária realizada na tarde de ontem, os filiados do Sindicato dos Servidores das Justiças Eleitoral e Federal no Acre (Sindjef/AC) decidiram deflagrar greve a partir da próxima quarta-feira, 26. Na ocasião, foi instituído Comando de Greve composto por servidores de ambos os órgãos.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation