Sinal-Faculdade inova e oferece bolsas parciais de estudo no valor R$ 80

Sinal-Faculdade, Instituição de Ensino Superior, localizada no 2º Distrito da cidade de Rio Branco, criada pela inspiração de homens e mulheres, professores em sua maioria com experiência, há décadas, em docência teológica e filosófica, com um projeto pedagógico inovador, professores qualificados e acervo bibliográfico satisfatório, neste ano inova ao oferecer mensalidades acessíveis à população carente. Trata-se de bolsas parciais de estudo no valor de R$ 80,00. As inscrições estão abertas para preencher, após processo seletivo simplificado, 80 vagas para o curso de Filosofia Bacharelado.  

A Sinal possui por objetivos, além de contribuir para a redução das desigualdades regionais e sociais, através de um pleno exercício de cidadania, promover princípios éticos, relevantes para a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos; tais como: credibilidade e transparência; compromisso social; visão humanista entre ensino e extensão; comprometimento com a qualidade;  gestão participativa; profissionalismo e valorização de recursos humanos e, principalmente, estabelecer um referencial  de qualidade, na região norte do Brasil, na formação de profissionais egressos dos cursos de teologia e filosofia.

O professor Assis, diretor-geral da Sinal-Faculdade de Teologia e Filosofia, diz que  “ao oferecer educação superior de qualidade com mensalidades acessiveis, à gente humilde (bolsas, parcial, de estudo) a Sinal surge para quebrar, pelo menos aqui no Acre, os paradigmas e o caráter elitista do ensino superior no Brasil, pois que em  pesquisa, recentemente divulgada pelo IBGE, o resultado confirma o que já se sabia: a maioria dos estudantes (60%) das Universidades Federais, pertence à camada dos 20% mais ricos da população brasileira. Isso, para não citar o perfil socioeconômico dos alunos das universidades privadas, deixa claro o caráter elitista do ensino no Brasil”.

“O perfil da Sinal é caracterizado por fazer educação sem fins lucrativos”, enfatiza o o professor Assis.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation