Gladson defende aprovação do “banda larga”

Em Brasília, onde se encontra para uma série de contatos no Congresso Nacional e demais órgãos federais, o deputado Gladson Cameli(PP) voltou a defender  a aprovação do projeto de lei do Poder Executivo que garante  acesso a internet de banda larga nas escolas públicas. Na quarta-feira passada(12), o deputado votou  no plenário da Câmara dos Deputados pela  aprovação do regime de urgência para apreciação do mérito da proposta. A votação da  matéria , no entanto, foi adiada para esta semana por falta de acordo.”O projeto tem um objetivo altamente social e precisa sair do papel o mais rápido possível”, disse Gladson.

O deputado criticou a oposição , que resistiu á votação do projeto e entrou em obstrução.Com a falta de quorum, a sessão foi encerrada sem a apreciação da matéria . A oposição alega que o projeto é eleitoreiro e beneficia apenas municípios administrados pela base do Governo Federal. Gladson alega, no entanto, que o projeto já foi amplamente debatido por todos os setores interessados e recebeu substitutivo que garante transparência na aplicação dos recursos.  Diante da resistência, O deputado defendeu  a discussão imediata dos pontos ainda pendentes para que o projeto não seja prejudicado em sua totalidade e insistiu no caráter popular da proposta.

O parlamentar acreano destacou ainda que o Plano Nacional de Banda Larga é estratégico para o Brasil e indispensável para o futuro de qualquer país. O objetivo, segundo o deputado, é democratizar a informação e levar conhecimento dos grandes centros até o interior de forma ágil e efetiva. A implantação do Plano Nacional de Banda Larga vai requerer a reativação e  reestruturação da  Telebrás, com requisição de funcionários a órgãos como o Ministério das Comunicações e da Agência Nacional de Telecomunicações(Anatel).Apesar das críticas da oposição à reativação da Telebrás,Gladson garantiu que o órgão vai  voltar a atuar no sentido estritamente técnico e “necessário para a implantação de um programa da dimensão do  Plano Nacional de Banda Larga”. (Assessoria)

Assuntos desta notícia


Join the Conversation