Petecão quer explicação sobre saneamento

Com base no levantamento do instituto Trata Brasil,que colocou Rio Branco entre as dez piores cidades do Brasil no ranking do saneamento (2003/2008),o deputado Sérgio Petecão (PMN)solicitou informações do Ministério das Cidades sobre o montante dos  recursos federais repassados à capital para obras de infraestrutura e saneamento nos 2  últimos governos .No documento, o deputado pede ainda a discriminação das obras, os prazos de conclusão estabelecidos , andamento e o número de bairros e população efetivamente beneficiada.

Segundo o deputado, os números são inquestionáveis já que a pesquisa utilizou a base de dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), divulgado anualmente pelo Ministério das Cidades. O SNIS reúne ainda informações sobre os serviços de água e esgoto fornecidas espontaneamente pelas empresas prestadoras dos serviços nas respectivas cidades. Rio Branco passou a constar na lista a partir de 2008, quando o levantamento passou a incluir 81 cidades na pesquisa,com a capital acreana ocupando o 75° lugar. A pesquisa, iniciada em 2003, começou por detectar o nível de cobertura de água e o volume de esgoto gerado pela população em cada uma destas cidades.

Para Petecão, o Governo do Estado tem de dar uma explicação para índices tão lastimáveis de saneamento, já que se trata de um setor absolutamente prioritário em qualquer Governo. O estudo considerou a população total atendida com água tratada e rede de esgoto,tratamento de esgoto por água consumida,índice total de perda de água tratada,o que demonstra a  eficiência do operador,calculado por base nos volumes totais de água produzida e água faturada,tarifa média praticada nos serviços,que corresponde a relação entre a receita operacional direta e o volume faturado de água e de esgoto.

O deputado acreano quer saber, com base nas informações contidas na pesquisa, como está a tarifa em Rio Branco em comparação a outras capitais brasileiras,”já que em relação a energia elétrica o Acre tem uma das mais altas tarifas ,sobretudo em virtude do ICMS incluído”. O parlamentar vai ainda solicitar informações acerca do volume de investimentos em relação à geração de caixa dos sistemas, compreendendo a arrecadação sem despesas operacionais.De acordo com o deputado,estas informações vão dar um panorama mais completo ,”de como anda o serviço de água e esgoto numa cidade onde o índice de saneamento é vergonhoso”. (Assessoria)

Assuntos desta notícia


Join the Conversation