“Dia que tiver jogo do Brasil, nenhum deputado virá votar”, diz líder do governo

O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), reafirmou que vai propor aos líderes partidários um acordo para antecipar o “recesso branco” para 10 de junho, véspera do início dos jogos da Copa do Mundo. O recesso oficial começa em 18 de junho.

Ainda pela sugestão do deputado, as sessões deliberativas serão realizadas em dias em que não haja jogos da seleção brasileira pelo mundial.
Antes, ele defende a votação da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias). A intenção é evitar o esvaziamento do Congresso em meio à discussão de projetos considerados importantes pelo governo.

“Eu costumo discutir as coisas como elas são, e todo mundo sabe que, no dia que tiver jogo do Brasil, nenhum deputado virá votar”, disse o deputado nesta terça-feira, ao deixar a sede provisória do governo federal, após reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A LDO contém, além de outros dispositivos, as metas e prioridades do governo para o próximo ano e as diretrizes para o orçamento. Pela Constituição, o recesso parlamentar não ocorre enquanto a lei não for aprovada.

Questionado sobre a repercussão da proposta, Vaccarezza reconheceu que ela pode gerar desconforto aos parlamentares frente ao eleitorado, mas reafirmou o propósito de garantir que as votações não sejam interrompidas.

“Essa é a vida como ela é… Uns reclamam e outros reconhecem a realidade”, concluiu.

Negativa
Mais cedo, o presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer (PMDB-SP), negou a possibilidade de adiantar o recesso branco.

“Compreendo as razões do líder Vaccarezza, ele atentou para uma realidade muito patriótica, que é a questão da Copa do Mundo, mas é absolutamente inviável. Vamos trabalhar regularmente até o recesso formal, que é em metade de julho”, defendeu Temer.  (Folha Online)

Assuntos desta notícia


Join the Conversation