Temer como vice de Dilma não altera situação eleitoral no Acre

A maior liderança do PMDB acreano, deputado federal Flaviano Melo (PMDB-AC), garantiu, ontem, que a indicação de Michel Temer (PMDB-SP) como candidato a vice de Dilma Rousseff (PT) não muda o jogo eleitoral no Estado. O parlamentar acrea-no acredita que deverá ser chamado para alguma conversa com o presidente da Câmara. “Mas o Temer sabe qual é a nossa posição no Acre. Ele deve estar mais preocupado em fazer acertos em outros estados como Minas Gerais”, afirmou.
Flaviano-Melo

A indicação anunciada, ontem, pelo Diretório Nacional peemedebista traz nas entrelinhas o compromisso de Michel Temer de unir o partido em todos os estados. “No Acre a coisa é complicada para a Dilma porque tem a Marina Silva (PV-AC) como candidata. Por isso, não acredito que possa haver pressão do diretório nacional para a gente mudar a nossa posição de apoio à candidatura de José Serra (PSDB)”, garantiu.

Senado – Por outro lado, uma importante liderança peemedebista do Acre afirmou que Flaviano Melo poderá ser ainda o candidato do partido ao Senado. Com isso, segundo a fonte, o PMDB teria chances reais de elegê-lo. Enquanto a disputa para a Câmara Federal seria até mais complicada porque o PMDB sairá com chapa pura majoritária e proporcional. No entanto, Flaviano, desmentiu a especulação com veemência. “Não estou preparado para disputar o Senado neste momento”, diz ele. Mas Flaviano concorda com a afirmação da liderança peemedebista que no atual quadro de pré-candidatos seu nome seria realmente forte.

Outra questão que parece definida nas hostes peemedebista é a candidatura de Rodrigo Pinto (PMDB) ao governo do Estado. A fonte, que não quis se identificar, revelou que há um sentimento de unidade muito grande no partido. Segundo ela, a união passa justamente pela candidatura de Rodrigo Pinto por se tratar de um jovem que tem um passado limpo e um brilhante futuro pela frente.         

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation