MPF/AC denuncia pecuarista por corrupção ativa e denunciação caluniosa

Servidor do Ibama teria recebido oferta de R$ 15 Mil para relaxar multas

O Ministério Público Federal no Acre (MPF/AC) denunciou o pecuarista Tarcio Juliano de Souza por crime de corrupção ativa por ter oferecido R$ 15 Mil a um fiscal do Instituto Brasileiro de  Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama).  A oferta seria para evitar novos autos de infração que seriam lavrados contra o acusado, que já havia sido multado pelo mesmo fiscal em mais de R$ 190 Mil.

Após ter recebido a oferta da propina, o fiscal multou novamente o pecuarista em mais de R$ 2 Milhões, o que teria gerado indignação no pecuarista e o levado a apresentar denúncia contra o fiscal por corrupção passiva. Nessa ocasião, Tarcio Juliano  admitiu o próprio crime por ter ofertado a propina, porém, não conseguiu comprovar o aceitamento por parte do fiscal, e também ficou comprovado que o cheque jamais chegou a ser descontado na rede bancária. A atitude do pecuarista rendeu a ele a denúncia pelo crime de denunciação caluniosa.

As multas aplicadas ao pecuarista são referentes à destruição de mata virgem e floresta nativa, entre queimadas e corte raso, que atingiram área equivalente a mais de 1,7 mil campos de futebol.  (Assessoria)

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation